Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Rússia fornecerá helicópteros para os navios Mistral do Egito

A Rússia fornecerá equipamentos e helicópteros avaliados em mais de US$ 1 bilhão para os dois porta-helicópteros da classe Mistral que o Egito comprou da França após a quebra do contrato original de Paris com Moscou, segundo informou o chefe da administração do Kremlin, Serguei Ivanov, nesta segunda-feira (19).


Sputnik

"A Rússia será uma espécie de subcontratante, que fornecerá para os navios Mistral o equipamento que lhes falta, sem o qual os Mistral, sinto dizer, são apenas 'latas flutuantes'. E, claro, isso inclui todos os helicópteros", disse Ivanov, acrescentando que o valor dessas potenciais transações chegaria a mais de US$ 1 bilhão.


Marinheiros russos em frente a um navio da classe Mistral em Saint-Nazaire, França
© REUTERS/ Stephane Mahe

Este ano, a França encerrou o contrato de US$1,3 bilhão assinado em 2011 com a Rússia, após o Presidente François Hollande ter decidido suspender a entrega dos navios, ainda em 2014, no contexto das sanções antirrussas impostas pelo Ocidente devido a um suposto envolvimento de Moscou no conflito ucraniano.

Paris teve que pagar cerca de US$ 1 bilhão à Rússia pela quebra do contrato, e de acordo com o Comitê de Finanças do Senado francês, o orçamento do país perderá cerca de 250 milhões de euros devido à revenda dos Mistral para o Egito, segundo o acordo assinado com Cairo em setembro deste ano.

Paris e Moscou ainda deverão assinar os documentos finais sobre a remoção de sistemas rádio-eletrônicos dos porta-helicópteros Mistral no início de novembro.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas