Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Su-34 russo destrói mais posições de combate do Estado Islâmico

Caça Su-34 da Força Aérea da Rússia destruiu as posições de fogo do grupo terrorista Estado Islâmico na área de Saf Safa na Síria, disse na quinta-feira o site oficial do Ministério da Defesa russo.


Sputnik

"Na área de Saf Safa os aviões de combate russos Su-34 destruiram as posições de fogo dos terroristas", diz-se em um comunicado.


Caça Su-34 e pilotos russos na Síria
Tripulação verifica condições para voo do Sukhoi Su-34 © Sputnik/ Dmitriy Vinogradov

Segundo os dados mais recentes, as Forças Aeroespaciais russas desde o início da operação realizaram 112 ataques contra as posições dos terroristas, inclusive, pontos de comando, campos de treinamento e armazéns de munições. Além disso, os navios da Frota do Mar Cáspio lançaram 26 mísseis de cruzeiro. A precisão de ataque é de 5 metros.

Os alvos dos ataques são escolhidos com base nos dados de reconhecimento russo, sírio, iraquiano e iraniano.


O embaixador sírio na Rússia, Riad Haddad, confirmou que foram realizados ataques aéreos do exército sírio, apoiados pelas forças aeroespaciais russas, contra organizações terroristas armadas, e não contra fações da oposição política ou civis. Além disso, segundo ele, em resultado dos ataques russos desde o início da operação foi destruído de cerca de 40% da infraestrutura do Estado Islâmico.

Mais cedo na quinta-feira (8), o representante oficial do Ministério da Defesa general Igor Konashenkov disse, à noite precedente os aviões russos realizaram 22 voos de combate e atacaram 27 posições dos terroristas na Síria.

O direito internacional permite o uso da força no território de um Estado estrangeiro, ou por decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas, ou em defesa própria, ou a pedido das autoridades desse Estado. A Rússia é o único país que realiza uma operação militar na Síria numa base legítima — a pedido das autoridades daquele país.



Postar um comentário