Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

Ações da Turquia contradizem recomendação da OTAN

As ações da Turquia após a derrubada de um caça russo na Síria não apenas contradizem a Carta da ONU, mas as próprias recomendações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN, na sigla em inglês), afirmou o representante russo na Aliança nesta sexta-feira.


Sputnik

Alexander Grushko comentou que a Turquia voltou-se para a OTAN imediatamente após derrubar um avião Sukhoi Su-24 no dia 24 de novembro "buscando apoio político, o que de fato foi fornecido."

Alexander Grushko, representante da Rússia na OTAN
Alexander Grushko © Sputnik/ Alexander Vilf

"A OTAN, guiada pela solidariedade do Atlântico… não lidou objetivamente porque todos entendem que objetivamente este crime é uma violação flagrante das leis internacionais", disse Grushko à rádio Kommersant. "Contradiz não somente os artigos fundamentais da Carta da ONU e um grande número de convenções, mas contradiz até as próprias recomendações da OTAN."

O enviado lembrou de um Conselho da OTAN no início de novembro que abordou uma violação forçada de espaço aéreo turco por parte de um caça russo Su-30 no dia 3 de outubro. Dois caças turcos F-16 interceptaram o avião e permitiram que ele deixasse o espaço aéreo turco.

"Não aconteceu neste caso, e nesse sentido a Turquia violou até as próprias recomendações e documentos da OTAN que regulamentam esses voos e regras de combate em situações assim", ressaltou Grushko.

Desde o incidente, a Rússia suspendeu todos contatos militares com a Turquia e anunciou o cancelamento da dispensa de vistos nas viagens entre os dois países, que vigorará a partir de janeiro. O governo russo ainda deve apresentar uma série de medidas econômicas e humanitárias como medidas de resposta.

A OTAN expressou publicamente seu apoio à Turquia após o incidente. Entretanto, fontes diplomáticas disseram à Sputnik que vários integrantes da OTAN, incluindo Grécia e França, fizeram duras críticas a Ancara na reunião do dia 24 de novembro, logo após o incidente com o caça russo.


Postar um comentário