Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin passa para Trump a responsabilidade de resolver conflito na Síria

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, passou a bola para que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seja o responsável por resolver o conflito na Síria.
EFE

Helsinque - Em entrevista coletiva conjunta realizada nesta segunda-feira, em Helsinque, após a primeira cúpula entre os dois líderes, Putin também deu para Trump uma bola oficial da Copa do Mundo.

"No que se refere ao fato de a bola da Síria estar no nosso telhado, senhor presidente, o senhor acaba de dizer que organizamos com sucesso o Mundial de Futebol. Portanto, quero agora entregar esta bola. Agora, a bola está do seu lado", disse Putin.

O presidente russo fazia uma referência a uma frase do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que havia afirmado que a bola para resolver o conflito na Síria estava no telhado do Kremlin.

Trump agradeceu pelo presente e disse estar confiante de que EUA, México e Canadá organizarão em 2026 uma Copa do Mundo tão bem-sucedida como a da Rússia.

Na sequência, o presidente americ…

'Ataque a caça russo foi ato claro de guerra'

Que ninguém se engane, diz o escritor americano Stephen Lendman: ao derrubar o caça russo Su-24, a Turquia cometeu um ato claro de guerra contra uma nação que não é inimiga.


Sputnik

É ingênuo, contudo, acreditar que o Presidente Erdogan, que autorizou os disparos que derrubaram o caça russo, agiu sozinho, reforça Lendman. Em seu mais recente artigo para a Global Research, o autor chama atenção para o fato de que Ancara obviamente mente sobre a entrada da aeronave russa no espaço aéreo turco e sobre as várias advertências dadas por pilotos turcos - a versão foi amplamente aceita como verdade por líderes ocidentais da oficiais da OTAN.


Caça F-16 da Força Aérea da Turquia
F-16 Fighting Falcon da Turquia © flickr.com/ UK Ministry of Defence

"Como já deixamos claro seguidas vezes, estamos solidários à Turquia e apoiamos a integridade territorial da Turquia, nossa aliada na OTAN", afirmou o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, após uma reunião de emergência solicitada por Ancara.

Stoltenberg também afirmou: "Já expressei anteriormente minhas preocupações com as implicações das ações militares da Federação Russa perto das fronteiras da OTAN."

Lendman reforça que Washington dita a política da OTAN e que as declarações da Aliança claramente refletem os interesses dos Estados Unidos.

Washington e a OTAN imediatamente tomaram o lado da Turquia após o episódio, ignorando o comunicado oficial da Rússia e das Forças de Defesa Aérea da Síria, assim como dados de monitoramento que confirmam que a aeronave russa não entrou no espaço aéreo da Turquia.

Além disso, o co-piloto resgatado, capitão Murahtin, confirmou que não houve violação do espaço aéreo turco e que não houve advertências visuais ou por rádio por parte da Turquia antes do ataque ao Su-24.

Segundo Lendman, contudo, a OTAN não parece interessada em descobrir a verdade. Para ele, o discurso de Stoltenberg "explicitamente endossa o ato de guerra contra a Rússia."


Postar um comentário

Postagens mais visitadas