Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

'Ataque a caça russo foi ato claro de guerra'

Que ninguém se engane, diz o escritor americano Stephen Lendman: ao derrubar o caça russo Su-24, a Turquia cometeu um ato claro de guerra contra uma nação que não é inimiga.


Sputnik

É ingênuo, contudo, acreditar que o Presidente Erdogan, que autorizou os disparos que derrubaram o caça russo, agiu sozinho, reforça Lendman. Em seu mais recente artigo para a Global Research, o autor chama atenção para o fato de que Ancara obviamente mente sobre a entrada da aeronave russa no espaço aéreo turco e sobre as várias advertências dadas por pilotos turcos - a versão foi amplamente aceita como verdade por líderes ocidentais da oficiais da OTAN.


Caça F-16 da Força Aérea da Turquia
F-16 Fighting Falcon da Turquia © flickr.com/ UK Ministry of Defence

"Como já deixamos claro seguidas vezes, estamos solidários à Turquia e apoiamos a integridade territorial da Turquia, nossa aliada na OTAN", afirmou o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, após uma reunião de emergência solicitada por Ancara.

Stoltenberg também afirmou: "Já expressei anteriormente minhas preocupações com as implicações das ações militares da Federação Russa perto das fronteiras da OTAN."

Lendman reforça que Washington dita a política da OTAN e que as declarações da Aliança claramente refletem os interesses dos Estados Unidos.

Washington e a OTAN imediatamente tomaram o lado da Turquia após o episódio, ignorando o comunicado oficial da Rússia e das Forças de Defesa Aérea da Síria, assim como dados de monitoramento que confirmam que a aeronave russa não entrou no espaço aéreo da Turquia.

Além disso, o co-piloto resgatado, capitão Murahtin, confirmou que não houve violação do espaço aéreo turco e que não houve advertências visuais ou por rádio por parte da Turquia antes do ataque ao Su-24.

Segundo Lendman, contudo, a OTAN não parece interessada em descobrir a verdade. Para ele, o discurso de Stoltenberg "explicitamente endossa o ato de guerra contra a Rússia."


Postar um comentário