Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Aviação russa destrói mais de 2 mil instalações dos terroristas desde 30 de setembro

A Força Aeroespacial russa eliminou mais de 2 mil instalações do Estado Islâmico e Frente al-Nusra tendo realizado 1.631 voos, informou o Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia na terça-feira (3).


Sputnik

Desde o início da operação aérea na Síria, a aviação russa eliminou 287 postos de comando, 155 armazéns, 52 campos de treinamento e 40 fábricas clandestinas dos terroristas, afirmou o alto representante do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, coronel-general Andrei Kartapolov.


Su-34 russo pousa na base aérea de Hmeymim
Sukhoi Su-34 © Sputnik/ Aleksander Astafiev

“Os nossos caças realizaram 1.631 ataques na Síria, alvejando um total de 2.084 instalações terroristas desde o início da operação”, disse Kartapolov.

Os terroristas na Síria sofrem grandes baixas devido às ações russas, acrescentou Kartapolov.

“Em resultado de ações da nossa aviação, conseguimos desorganizar o sistema de comando dos terroristas e a cadeia de fornecimento que criaram durante um período de tempo bastante grande, bem como causar grandes baixas entre os terroristas, minar o seu espírito e convencer os seus financiadores de que futuro financiamento destes criminosos não dará frutos”, disse Kartapolov.

Cooperação russo-americana na Síria

O militar destacou que a Rússia e os EUA começaram a cooperar no espaço aéreo da Síria, tendo realizado exercícios conjuntos para evitar uma colisão de aviões militares no céu sobre o país, mergulhado na guerra civil. Caças russos e norte-americanos praticaram uma aproximação à distância segura mínima de 5,5 km, acrescentou.

“Durante os exercícios em zonas especialmente designadas, aviões russos e da coalizão internacional manobraram à distância segura de 3 milhas náuticas uns dos outros, estabeleceram contatos de rádio na frequência designada e trocaram mensagens sobre os parâmetros dos seus voos em russo e em inglês”.

Contatos com a oposição síria

Os militares russos chegaram a acordo com a oposição síria sobre esforços conjuntos contra os terroristas, disse o representante militar russo.

O Ministério da Defesa russo estabeleceu contatos com os líderes e comandantes rebeldes de vários grupos da oposição patriótica síria que defendem a integridade do país, apesar de que estão na oposição ao regime de Bashar Assad, disse Kartapolov, acrescentando que Moscou espera que isso ajude a resolver o conflito na Síria.

Segundo Kartapolov, a Força Aeroespacial russa realizou 12 voos alvejando 24 posições dos terroristas cujas coordenadas foram fornecidas por representantes da oposição síria.

“Hoje, a Federação da Rússia realizou 12 ataques contra 24 alvos terroristas usando munições potentes e bombas de alta precisão KAB-500 nas áreas de Tadmur, Deir ez-Zor, Itria e no leste de Aleppo. As coordenadas de todas essas instalações foram fornecidas por representantes da oposição”, afirmou.

Segundo Kartapolov, o grupo aéreo russo instalado na Síria já coordenou os esforços antiterroristas com a oposição síria, estabelecendo canais seguros de troca de informações.

Desde 30 de setembro, a aviação russa, após o pedido do presidente sírio, Bashar Assad, está realizando golpes aéreos contra alvos do Estado Islâmico na Síria.

O presidente russo Vladimir Putin confirmou mais cedo que o período da operação militar russa na Síria será limitado pelos resultados da ofensiva do exército sírio, negando a possibilidade de uso das Forças Armadas da Rússia para ações militares terrestres.



Postar um comentário