Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Exercícios da OTAN visam aterrorizar Rússia

Os militares dos países da OTAN devem enviar um sinal claro para a Rússia e outros adversários potenciais durante os exercícios Trident Juncture, escreve a mídia estadunidense e canadense.


Sputnik

Das declarações de alguns generais da aliança deduz-se que os exercícios da OTAN Trident Juncture 2015 têm que desempenhar um certo papel na política de contenção.


Fuzileiros portugueses participam dos exercícios da OTAN Trident Juncture 2015
© AFP 2015/ FRANCISCO LEONG / AFP

"Espero que a Rússia esteja assistindo a esses exercícios", disse o comandante das Forças dos EUA na Europa Ben Hodges, citado pela edição canadense National Post. Na sua opinião, a demonstração da capacidade militar é uma parte importante da política de "contenção". "Não é apenas a questão de obter o potencial, mas também de mostrar este potencial à Rússia".


Representantes da OTAN explicaram que as ações da Rússia ao longo dos últimos dois anos forçaram a aliança começar a rever a sua estratégia, escreve o Army Times.

O tenente-general canadense Steve Bowes concorda que os exercícios Trident Juncture 2015 devem tornar-se um aviso para a Rússia, relata o National Post. "Os exercícios devem mostrar a capacidade da aliança de trabalhar em conjunto, bem como a sua prontidão do ponto de vista político. Cada país-membro tem investido nestes exercícios recursos consideráveis", disse Bowes.

"O movimento coordenado em grande escala dos soldados, navios e aviões é destinado para aperfeiçoar o seu potencial, bem como para transmitir uma mensagem clara à Rússia e outros adversários reais ou potenciais", escrevem os meios de comunicação canadenses e americanos.

A OTAN está realizando na Europa os maiores exercícios das últimas décadas. Os treinos decorrem em Portugal, Espanha e Itália e envolvem cerca de 36 mil efetivos de 30 países.

Postar um comentário