Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Força Aeroespacial russa destrói alvos do Estado Islâmico na província síria de Homs

A Força Aeroespacial da Rússia destruiu várias posições subterrâneas e pontos de artilharia antiaérea dos terroristas na província síria de Homs, disse nesta segunda-feira (2) o representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, major-general Igor Konashenkov.


Sputnik

"No distrito de Tadmor, província de Homs, um bombardeiro Su-25 aplicou um golpe a uma posição fortificada dos militantes do Estado Islâmico. No resultado de golpes diretos estruturas fortificadas, esconderijos subterrâneos e pontos de artilharia antiaérea dos terroristas, com dois dispositivos 3SU-23, foram eliminados", disse Konashenkov.


Sukhoi Su-25

Segundo ele, 237 alvos dos terroristas situados em seis províncias da Síria foram atingidos pela aviação russa em 28 horas.

Konashenkov explicou que os golpes eram direcionados contra os grupos terroristas Estado Islâmico e Frente al-Nusra.

Hospitais inexistentes

O representante do ministério chegou a comentar as acusações dos EUA sobre supostos alvos civis, inclusive hospitais, que a aviação russa teria atacado — juntamente ou em vez de alvos do Estado Islâmico.

"Cinco dos seis hospitais que foram supostamente alvos de ataques russos não existem", disse Konashenkov.

Campanha

A Rússia está realizando a sua operação aérea na Síria desde 30 de setembro, quando a câmara alta do parlamento russo aprovou o envio da Força Aeroespacial a esse país, após pedido oficial de Damasco.


Postar um comentário