Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

General norte-americano: Turquia cometeu um ´erro muito sério` ao derrubar o caça russo

O ex-vice-comandante do Estado-Maior da Força Aérea dos EUA, general-tenente Tom McInerney afirmou que a Turquia cometeu “um erro muito sério” ao derrubar o caça Su-24 russo.


Sputnik

Segundo o militar norte-americano, os dados de radar indicam que a aeronave atravessou a ponta da Turquia e permaneceu no espaço aéreo turco somente por 20-40 segundos. Depois disso, a aeronave começou o retorno para a Síria.

“A aeronave não realizou manobra de ataque ao território”, afirmou McInerney em entrevista à emissora Fox News. 


Caça russo Su-24
Sukhoi Su-24 © AFP 2015/ SERGEY VENYAVSKY / AFP

Na terça-feira, o caça Su-24 russo caiu na Síria. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, informou que a aeronave foi derrubada por um míssil do tipo “ar-ar”, disparado por um F-16 turco sobre o território sírio. O caça caiu na Síria, a quatro quilômetros da fronteira com a Turquia. O presidente russo classificou o incidente como um “golpe pelas costas”. O Estado-Maior da Força Aérea da Rússia declarou que o Su-24 não entrou em território turco, o que foi confirmado pelos dados da defesa antiaérea da Síria. Turquia reiterou que a aeronave invadiu seu espaço aéreo.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas