Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (VÍDEO)

Devido à enorme riqueza natural, a porção de mar sob jurisdição brasileira é também conhecida como Amazônia Azul. A área é um dos mais importantes patrimônios naturais brasileiros e é uma preocupação para o setor de Defesa. Para comentar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu Ricardo Cabral, pesquisador da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil.
Sputnik

O pesquisador falou sobre a importância comercial e estratégica, o potencial energético, científico e as obrigações internacionais do Brasil com as áreas da Amazônia Azule seu entorno. Ele também descreveu o atual estado da esquadra da Marinha brasileira, que carece de investimentos e pleiteia junto ao novo governo federal uma fatia maior do orçamento público, limitado pela Emenda Constitucional nº 95.


Foi a própria Marinha brasileira que cunhou o termo "Amazônia Azul", em referência ao tamanho da biodiversidade e dos bens naturais encontradas em sua área. No entanto, a área marítima é ainda maior do que porção brasileira da flo…

General norte-americano: Turquia cometeu um ´erro muito sério` ao derrubar o caça russo

O ex-vice-comandante do Estado-Maior da Força Aérea dos EUA, general-tenente Tom McInerney afirmou que a Turquia cometeu “um erro muito sério” ao derrubar o caça Su-24 russo.


Sputnik

Segundo o militar norte-americano, os dados de radar indicam que a aeronave atravessou a ponta da Turquia e permaneceu no espaço aéreo turco somente por 20-40 segundos. Depois disso, a aeronave começou o retorno para a Síria.

“A aeronave não realizou manobra de ataque ao território”, afirmou McInerney em entrevista à emissora Fox News. 


Caça russo Su-24
Sukhoi Su-24 © AFP 2015/ SERGEY VENYAVSKY / AFP

Na terça-feira, o caça Su-24 russo caiu na Síria. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, informou que a aeronave foi derrubada por um míssil do tipo “ar-ar”, disparado por um F-16 turco sobre o território sírio. O caça caiu na Síria, a quatro quilômetros da fronteira com a Turquia. O presidente russo classificou o incidente como um “golpe pelas costas”. O Estado-Maior da Força Aérea da Rússia declarou que o Su-24 não entrou em território turco, o que foi confirmado pelos dados da defesa antiaérea da Síria. Turquia reiterou que a aeronave invadiu seu espaço aéreo.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas