Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Ministro sírio: com ajuda da Rússia, Damasco percebeu objetivos do Ocidente na Síria

Sob o pretextos de regulação pacífica, o Ocidente tenta destruir a Síria, afirma o ministro da Informação sírio, Omran Zoubi.


Sputnik

Resumindo os resultados do ano, o ministro sírio sublinhou que tudo o que Damasco tem falado e do que estava avisando o mundo durante últimos três anos aconteceu em 2015. Primeiramente, o terrorismo se estendeu para fora da Síria. 


Pentágono envia militares das Forças Especiais para combater o Estado Islâmico na Síria
Forças especiais dos EUA na Síria © flickr.com/ The U.S. Army

"Em 2015 a administração da Síria, com o atual apoio da Rússia sob a chefia do presidente Vladimir Putin, conseguiu revelar a política e os objetivos do Ocidente, que, sob os lemas de regulação pacífica, quer destruir a Síria".

Conforme Zoubi declarou à agência noticiosa russa RIA Novosti, a Turquia mostrou que não está interessada na resolução pacífica da situação na Síria e só quer criar o caos no país.

"A tensão que os terroristas criaram no mundo deve persuadir todos que a luta contra o terrorismo exige esforços coordenados e conjuntos", disse.
Zoubi também comentou os acontecimentos recentes que agravam a situação ainda mais – a derrubada do Su-24 russo pelo lado turco.

“A Turquia está irritada com as ações da Rússia porque o [grupo terrorista] Estado Islâmico tem laços próximos e econômicos com o governo da Turquia,” declarou.

Nesta terça-feira (24), um caça russo Su-24 foi abatido na Síria. O presidente Vladimir Putin declarou que o avião foi abatido por um míssil ar-ar disparado de um avião turco F-16, tendo o avião caído em território sírio, a quatro quilômetros da fronteira com a Turquia. O presidente russo chamou ao abate do avião "golpe nas costas" por parte de coniventes com o terrorismo.

Segue o link para a entrevista completa.


Postar um comentário