Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Mísseis de cruzeiro russos atingem fábrica de explosivos em Idlib

Os aviões Tu-95MS da Força Aeroespacial da Rússia lançaram mísseis de cruzeiro contra armazéns de armas, fábrica de explosivos, um ponto de comando e o estado-maior do Estado Islâmico em Idlib.


Sputnik

Aeronaves da Aviação de Largo Alcance russo foram usadas na Síria na semana em curso e o resultado desta novidade é já visível.


Tupolev Tu-95

Em entrevista coletiva desta quinta-feira (19), o exército russo comentou os êxitos da campanha aérea russa na Síria.

Segundo o chefe do Diretorado Operacional Principal do Estado-Maior Geral das Forças Armadas da Federação da Rússia, Andrei Kartapolov, um total de 12 mísseis de cruzeiro foi lançado hoje.

Já na quarta-feira (18), 16 mísseis de cruzeiro lançados pela aviação russa atingiram sete objetos importantes do grupo terrorista.

Já o total de voos planejados nesta quinta é 98. O número dos voos realizados é 60. 190 instalações do Estado Islâmico foram atingidas.

"A Força Aeroespacial da Rússia continua assestando golpes aéreos maciços contra posições de terroristas conforme o plano da operação aérea", disse Kartapolov.

Em dois dias, 126 voos de combate foram realizados pelos aviões russos que decolam da base aérea de Hmeymim, na província de Lataquia.

Além de Idlib, alvos dos terroristas foram atingidos nas províncias de Raqqa e Deir ez-Zor.

Campanha

A Rússia enviou a sua aviação à Síria em 30 de setembro, após pedido correspondente de Damasco.


Postar um comentário