Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

O rebelde que se gabou de matar o piloto do Su-24 russo

Foi Alparslan Celik, o segundo no comando da Divisão Costeira dos Turcomenos, que confirmou que tinha disparado contra os dois pilotos russos quando eles estavam descendo de paraquedas. Ele também alegou que ambos foram mortos, embora esta alegação tenha sido refutada mais tarde.


Sputnik

"Ambos os pilotos foram mortos. Os nossos camaradas abriram fogo e eles morreram no ar", disse ele aos repórteres logo após o incidente, mostrando o que parecia ser um pedaço de um paraquedas como prova.


Link permanente da imagem incorporada
Alparslan Celik é o da esquerda na foto, de gorro claro

Celik, de acordo com o RT, não é um turcomeno, mas um cidadão turco, e parece ser um dos filhos do prefeito de Keban, uma pequena cidade na província de Elazig. Celik também é alegadamente um membro dos Lobos Cinzentos, uma organização de jovens, muitas vezes descrito como ultranacionalista ou neofascista.

Os Lobos Cinzentos "tentaram exportar a sua ideologia pan-turca e a propaganda neofascista para outros países como o Cazaquistão e Azerbaijão, para reunir todos os povos turcos, mas foram proibidos. A razão da proibição é simples: os Lobos Cinzentos foram responsáveis por uma série de crimes, especialmente na década de 1970 e 1980. Os membros da organização mataram centenas de pessoas na Turquia, e sua vontade de recorrer à violência tem sido sempre bastante óbvia", informou o International Business Times em junho.

A organização está ligada à extrema-direita do Partido de Ação Nacionalista (MHP), o terceiro no país. O MHP recebeu quase 12 por cento dos votos nas últimas eleições legislativas realizadas em novembro.


Postar um comentário