Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Por que razão EUA enviam caças F-15 à Turquia?

O Pentágono decidiu enviar cerca de dez caças F-15C à base aérea de Incirlik, na Turquia, informou o site norte-americano The Daily Beast.


Sputnik

O que atrai a atenção é o fato de que os caças deste tipo só têm armas ar-ar. A mídia sublinha que o possível alvo dos caças podem ser os aviões russos que estão realizando a operação aérea na vizinha Síria. 


Caça norte-americana F-15C
F-15 Eagle © AFP 2015/ PETRAS MALUKAS

O objetivo oficial de envio dos caças foi divulgado nos finais da semana: para proteger os aliados dos EUA na OTAN.

Enquanto isso, a publicação online cita a representante oficial Laura Seal como tendo afirmado: “Eu nunca disse que não estava relacionando com a Rússia.”

De acordo com a mídia, a declaração poderia pressupor que os F-15, que carregam seis mísseis tipo ar-ar, ajudarão a Força Aérea turca a realizar o patrulhamento da fronteira com a Síria, podendo interceptar aviões e helicópteros sírios.

Cabe lembrar que os norte-americanos A-10 já se encontram na base de Incirlik com o mesmo objetivo de “garantir a segurança” dos aliados da OTAN.

Mas a realidade parece mais prosaica e a publicação admite-o diretamente:

“Agora os Estados Unidos terão caças na Síria, cujo trabalho principal poderá ser estar atento aos russos.”

A Rússia realiza na Síria uma operação aérea para combater terroristas do grupo Estado Islâmico ao pedido oficial de Damasco. A operação já mostrou ser bastante eficaz, de acordo com os dados do Estado-Maior General da Federação da Rússia, os combatentes terroristas já começaram a recuar, deixando os armamentos e material bélico na linha de frente.

Mas os Estados Unidos não parecem satisfeitos com os êxitos da operação russa, visto que os estadunidenses estavam por mais de um ano realizando a sua operação para combater o EI sem que os seus esforços tivessem tido o efeito desejado.


Postar um comentário