Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel prende o governador palestino de Jerusalém

Motivo da detenção foram crimes cometidos na Cisjordânia ocupada, segundo a Organização para a Libertação da Palestina.
France Presse

Israel prendeu o governador palestino de Jerusalém por crimes que teria cometido na Cisjordânia ocupada, que não foram especificados, informou a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

O governador Adnan Gheith foi detido no sábado (20) à noite no bairro palestino de Beit Hanina, em Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel. Será apresentado a um tribunal dentro de quatro dias, afirma a OLP em um comunicado.

Para o dirigente da OLP Saeb Erakat, a detenção é "um novo passo contra a presença palestina em Jerusalém" e constitui uma violação da legislação israelense a respeito das instituições palestinas da cidade.

"As ameaças contra dirigentes palestinos, sua detenção, inclusive o 'sequestro' do governador Gheith, são parte de um plano que pretende sufocar todas as bases de uma solução política com dois Estados e com as f…

Presidente sérvio: Ancara tentou impedir destruição de terroristas

O presidente sérvio Tomislav Nikolic enviou ontem (26) um telegrama de condolências devido ao abate do bombardeiro russo que levou a vida de um dos pilotos.


Sputnik

Nikolic disse à Sputnik que ele expressou desta forma a sua solidariedade com a operação antiterrorista russa na Síria. 


Tomislav Nikolic
Tomislav Nikolic © Sputnik/ Aleksei Nikolsky

“Ao mesmo tempo isto é uma reprovação das ações instigadoras da Turquia, por meio das quais Ancara tentou impedir a destruição dos terroristas (a propósito, a Rússia está quase acabando este processo) e quis engajar outros países da OTAN em um conflito com a Rússia”, disse Nikolic.

O presidente frisou que não se podia ter permitido um tal incidente e lembrou que a própria Turquia violou repetidamente o espaço aéreo da Grécia, mas estes casos foram resolvidos por meio de mecanismos diplomáticos.

“Quando as forças sírias abateram um avião turco, a Turquia disse que apesar de este ter estado no espaço aéreo da Síria por mais de dez minutos, foi um gesto negativo na mesma e que tudo podia ter sido resolvido através da diplomacia e de uma chamada telefônica. Neste caso, em apenas 17 segundos (além disso, a Turquia não tem provas que ele estava realmente no seu espaço aéreo), eles afirmam que contataram o piloto por sete vezes, consultaram o Ministério da Defesa etc. Tudo isso é muito pouco claro”, opina Nikolic.

Ele opina que “a Turquia é culpada de um acidente demasiado grave para que Rússia lhe estenda a mão da reconciliação”.

Nikolic também sublinhou que é pouco possível esperar ajuda da Turquia na luta contra o terrorismo, que está destruindo a Europa.

O presidente sérvio sublinhou que não gostaria de intervir nas relações da Rússia com a Turquia e comentar as possíveis sanções por parte de Moscou, porém disse:

“Eu sei que o presidente Putin é uma pessoa razoável, está pronto a proteger os interesses nacionais do país e tomará as medidas correspondentes. Será uma decisão sensata que mostrará que ninguém se deve atrever a comportar-se tão imprudentemente com a Rússia, especialmente agora quando ela luta contra um mal mundial”.

Nikolic opina que a Turquia e a Rússia podem tentar corrigir as relações durante o conselho ministral da OSCE em Belgrado, que terá lugar no início de dezembro:

“Mas a Turquia deve dar o primeiro passo porque é culpada. Não é preciso esperar da Rússia que ela proponha restabelecer a paz àquele que provocou o conflito sem quaisquer sinais de arrependimento e garantias de que isso não acontecerá mais uma vez”.

Nesta terça-feira (24), um bombardeiro russo Su-24 foi derrubado por um míssil ar-ar turco no espaço aéreo sírio. Os dois pilotos do avião conseguiram se ejetar antes de o avião cair. Um dos pilotos foi ferido quando descia de paraquedas e foi morto por islamistas. O copiloto foi salvo e enviado para a base de Hmeymim.

Ancara declara que derrubou o avião russo porque ele violou o espaço aéreo turco, mas o Ministério da Defesa da Rússia sublinha que durante todo o voo o avião se manteve sempre sobre o território da Síria. “Isto foi registrado por meios objetivos de controle", acrescentou o departamento militar. O presidente russo Vladimir Putin chamou o abate do avião de "golpe nas costas" por parte de coniventes com o terrorismo.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas