Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Primeiro caça Gripen NG entra em fase final de montagem

A Saab revelou no dia de 10 de novembro que iniciou a montagem final do seu primeiro protótipo do caça Gripen NG.



Poder Aéreo


A informação foi dada durante o show aéreo de Dubai, pelo chefe da área de negócios de aeronáutica da Saab Ulf Nilsson, destacando que as três seções principais do caça precisaram de apenas um pequeno ajuste para serem unidas. “Tivemos menos feedback da linha de produção sobre a primeira aeronave do que temos sobre a produção do Gripen C/D”, observou ele, atribuindo o fato à concepção totalmente digital do novo modelo.

Protótipo do Gripen E na linha de montagem - Foto Per Kustvik - © Saab AB

Nilsson confirmou que a aeronave protótipo 39-8 está dentro do cronograma para entrar em voo-teste durante 2016, mas não revelou uma data-alvo.

Ele também destaca o progresso que está sendo feito com o acordo de produção do Gripen E/F com o Brasil. Um primeiro grupo de 50 engenheiros da Embraer e suas famílias chegaram recentemente em Linköping, com um total de 300 que passarão até dois anos na Suécia para construir a experiência de design e produção da empresa brasileira no tipo. “Estamos em velocidade total – uma verdadeira parceria de longo prazo”, diz ele, acrescentando: “eles dizem que é uma aeronave brasileira; estão comprometidos com o programa.”

Com os contratos da Saab para produzir 60 aeronaves de nova geração para a Suécia e 36 para o Brasil, Nilsson diz que a empresa está buscando construir sobre o seu sucesso. Ela está olhando com interesse em requisitos que estão surgindo na Finlândia e na Bélgica, e também espera atender as necessidades de outros países como a Bulgária, a Croácia e a Eslováquia, através de acordos apoiados pelo governo sueco.

Notando que a Saab já tem a República Checa e a Hungria como operadores, ele brinca: “Talvez Gripen será o verdadeiro ‘Euro fighter’!”

Oportunidades de longo prazo também podem surgir com a Indonésia, Malásia, Filipinas e potencialmente no sul da África, mas a Saab observa que não está promovendo a aeronave para as nações do Oriente Médio.

Enquanto isso, a Saab no mês passado entregou seu novo software operacional padrão MS20 para o caça Gripen C/D ao seu cliente sueco, com o teste de voo final agora em curso. A versão aperfeiçoada – que em breve entrará em serviço operacional – inclui a adição do míssil BVR Meteor da MBDA.

A empresa também aproveitou a recente visita liderada pela Dassault da aeronave de combate não tripulada Neuron à área de testes Vidsel na Suécia, para testar seu demonstrador Gripen NG em parceria com o avião furtivo.

Nilsson se recusou a fornecer detalhes da atividade de teste realizada pelo Gripen, mas confirma: “Podemos no sentir confortáveis que temos o desempenho adequado para o futuro nesta área”



Postar um comentário