Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

'Rússia aniquilaria exército dos EUA', diz especialista do Pentágono

Apesar do tamanho de seu orçamento militar, o Exército dos Estados Unidos não é tão forte quanto pode se imaginar e certamente perderia para o Exército russo em um confronto direto no campo de batalha, afirma o coronel aposentado Douglas Macgregor, na revista Politico Magazine.


Sputnik

A movimentação do 2º Regimento de Cavalaria do Exército americano, que deixou a Alemanha rumo à Hungria, tinha a intenção se assustar a Rússia, mas tornou-se uma piada e não ajudaria em um combate real, afirmou Macgregor, que é Ph.D. em relações internacionais pela Academia Militar americana de West Point.

Exército americano em exercício militar na Lituânia
© AP Photo/ Mindaugas Kulbi

"Essa parada (uma fila de veículos militares que dirigiu da Alemanha até a Hungria) não vai enganar ninguém em Moscou", disse Macgregor. Para ele, talvez os russos não saibam como fazer certas coisas bem, mas na arte da guerra não estão atrás de ninguém.

Macgregor é um famoso herói de guerra americano. Seu esquadrão destruiu uma Brigada Blindada iraquiana inteira em 23 minutos, perdendo apenas um soldado, em uma decisiva batalha de tanques durante a Guerra do Golfo.

Mais tarde, ao comentar sua vitória, Macgregor disse que se sua unidade militar enfrentasse um confronto cara-a-cara com russos, seu exército teria sido derrotado.

"Derrotado não é a palavra certa, a palavra certa é aniquilado", afirmou Macgregor ao especialista militar Mark Perry, segundo a Politico.

Em sua apresentação no Congresso em novembro de 2013, Macgregor comparou o estado do Exército americano com um barco a remo para nove pessoas, no qual "quatro determinariam a direção, três ditariam o ritmo e dois remariam."

Em outras palavras, Macgregor disse que o Exército americano é mal organizado ou mal treinado e que se tivesse que enfrentar outro exército com números semelhantes e tecnologicamente avançado — como russos ou chineses — em um campo de batalha, seria alta a probabilidade de derrota das forças americanas.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas