Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

'Rússia aniquilaria exército dos EUA', diz especialista do Pentágono

Apesar do tamanho de seu orçamento militar, o Exército dos Estados Unidos não é tão forte quanto pode se imaginar e certamente perderia para o Exército russo em um confronto direto no campo de batalha, afirma o coronel aposentado Douglas Macgregor, na revista Politico Magazine.


Sputnik

A movimentação do 2º Regimento de Cavalaria do Exército americano, que deixou a Alemanha rumo à Hungria, tinha a intenção se assustar a Rússia, mas tornou-se uma piada e não ajudaria em um combate real, afirmou Macgregor, que é Ph.D. em relações internacionais pela Academia Militar americana de West Point.

Exército americano em exercício militar na Lituânia
© AP Photo/ Mindaugas Kulbi

"Essa parada (uma fila de veículos militares que dirigiu da Alemanha até a Hungria) não vai enganar ninguém em Moscou", disse Macgregor. Para ele, talvez os russos não saibam como fazer certas coisas bem, mas na arte da guerra não estão atrás de ninguém.

Macgregor é um famoso herói de guerra americano. Seu esquadrão destruiu uma Brigada Blindada iraquiana inteira em 23 minutos, perdendo apenas um soldado, em uma decisiva batalha de tanques durante a Guerra do Golfo.

Mais tarde, ao comentar sua vitória, Macgregor disse que se sua unidade militar enfrentasse um confronto cara-a-cara com russos, seu exército teria sido derrotado.

"Derrotado não é a palavra certa, a palavra certa é aniquilado", afirmou Macgregor ao especialista militar Mark Perry, segundo a Politico.

Em sua apresentação no Congresso em novembro de 2013, Macgregor comparou o estado do Exército americano com um barco a remo para nove pessoas, no qual "quatro determinariam a direção, três ditariam o ritmo e dois remariam."

Em outras palavras, Macgregor disse que o Exército americano é mal organizado ou mal treinado e que se tivesse que enfrentar outro exército com números semelhantes e tecnologicamente avançado — como russos ou chineses — em um campo de batalha, seria alta a probabilidade de derrota das forças americanas.


Postar um comentário