Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Rússia apresenta protesto oficial contra a Turquia

A Rússia apresentou um protesto formal ao adido militar da Turquia por conta da derrubada do jato russo Su-24 por um F-16 turco, no norte da Síria, nesta terça-feira, segundo informou o Ministério da Defesa da Rússia.


Sputnik

"Nós estamos considerando as ações da Força Aérea turca um ato hostil", disseram as autoridades russas através de um comunicado oficial.


Bombardeiros russos Su-24
Sukhoi Su-24 © Sputnik/ Igor Zarembo

Segundo o serviço de imprensa do ministério, a Defesa russa tentou estabelecer comunicações com Ancara imediatamente após o incidente, mas as tentativas não foram bem sucedidas.

Nesta manhã, um bombardeiro Sukhoi Su-24 das Forças Armadas da Rússia foi abatido por um caça turco, com dois militares a bordo, quando participava de um ataque a posições terroristas no norte da Síria. A Turquia alega que o avião russo teria violado o seu espaço aéreo, mas Moscou nega essa informação.


Postar um comentário