Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Rússia apresenta protesto oficial contra a Turquia

A Rússia apresentou um protesto formal ao adido militar da Turquia por conta da derrubada do jato russo Su-24 por um F-16 turco, no norte da Síria, nesta terça-feira, segundo informou o Ministério da Defesa da Rússia.


Sputnik

"Nós estamos considerando as ações da Força Aérea turca um ato hostil", disseram as autoridades russas através de um comunicado oficial.


Bombardeiros russos Su-24
Sukhoi Su-24 © Sputnik/ Igor Zarembo

Segundo o serviço de imprensa do ministério, a Defesa russa tentou estabelecer comunicações com Ancara imediatamente após o incidente, mas as tentativas não foram bem sucedidas.

Nesta manhã, um bombardeiro Sukhoi Su-24 das Forças Armadas da Rússia foi abatido por um caça turco, com dois militares a bordo, quando participava de um ataque a posições terroristas no norte da Síria. A Turquia alega que o avião russo teria violado o seu espaço aéreo, mas Moscou nega essa informação.


Postar um comentário