Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

'Tem gente que nem sabe dos exercícios da OTAN'

Os exercícios da OTAN Trident Juncture terminam na sexta-feira, dia 6 de novembro. Portugal já teve manifestações contra esta "exibição de força". Um exemplo são três ações que tiveram lugar ontem.


Sputnik

Organizadas pelo grupo da juventude do Partido Ecologista Os Verdes, as ações "contra a OTAN e a favor da paz" foram realizadas em duas vilas e uma cidade no centro do país: Oeiras, Sesimbra e Lisboa.


Manifestação contra OTAN em Portugal
© Foto: Cláudia Madeira/Ecolojovem

Segundo Cláudia Madeira, uma dirigente da juventude dos Verdes, em Sesimbra houve "a colocação de uma faixa junto às instalações da OTAN", e em Oeiras, "colocação de faixa perto do Comando Operacional Marítimo da OTAN".

Já a ação na capital, Lisboa, que teve lugar na estação de metrô Rossio, foi principalmente uma ação de "informação e sensibilização da população sobre os exercícios da OTAN com entrega de panfletos".

Em comentário exclusivo à Sputnik, Madeira disse: "Muitas pessoas nem sequer sabiam que estão sendo realizados exercícios militares no país".

Explicando a postura do movimento, Cláudia Madeira disse o seguinte:

"Nós partimos da nossa Constituição que preconiza a dissolução dos blocos político-militares. Somos a favor da paz e de meios pacíficos como forma de resolver os conflitos que existem hoje no mundo. E somos contra a participação de soldados portugueses nestes exercícios".

Em Lisboa, já houve um protesto contra a OTAN. Foi no sábado, 24 de outubro, organizado por várias organizações, entre elas a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses — Intersindical Nacional (CGTP-IN), o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), o Movimento Democrático de Mulheres (MDM), a União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), a Associação de Amizade Portugal-Cuba (AMPC).


Postar um comentário