Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

'Turquia cometeu ato de guerra', diz especialista em leis internacionais

Segundo leis internacionais, derrubar um caça russo em espaço aéreo sírio é um ato de guerra por parte da Turquia, disse à Sputnik o especialista jurídico Alexander Mercouris.


Sputnik

Derrubar o caça russo Su-24 no espaço aéreo sírio foi um ato agressivo que constitui ato de guerra sob leis internacionais, afirmou à Radio Sputnik o especialista jurídico Alexander Mercouris.




"Se a aeronave estava em espaço aéreo sírio, então em termos legais internacionais, trata-se de um ato de guerra porque a Turquia invadiu o espaço aéreo sírio e derrubou uma aeronave dentro da Síria e que operava com permissão do governo sírio", declarou Mercouris.

As ações da Turquia, convocando o embaixador russo e iniciando uma reunião na OTAN em vez de contactar Moscou, são parte da estratégia do governo para reforçar sua posição, com a ciência de que o avião foi abatido em espaço aéreo sírio e não turco, como alegam as autoridades da Turquia.

"Isso, de fato, são os turcos procurando uma cobertura", disse o especialista. "É um reflexo da pressão que o governo turco está sofrendo porque estão vendo sua política na Síria se dissolver."

Embora a Turquia possa esperar manifestações públicas de apoio vindas de seus aliados na OTAN, longe dos microfones os aliados devem expressar suas preocupação com a postura mais agressiva da Turquia.

"Já há preocupação com relação a Erdogan e suas políticas em muitos países. Acredito que isto (o incidente aéreo) só reforçará os temores."



Postar um comentário