Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Turquia derruba avião militar russo na fronteira com a Síria

Fulya OZERKAN | AFP

A Turquia derrubou nesta terça-feira um avião militar russo em sua fronteira com a Síria, no incidente mais grave desde o início da intervenção da Rússia, no conflito sírio no fim de setembro.




Ancara afirma que a aeronave violou o espaço aéreo turco. Moscou admitiu que o avião foi derrubado, um caça do tipo Sukhoi Su-24, mas garantiu que o aparelho sobrevoava o espaço aéreo sírio.

O Su-24 caiu no extremo noroeste do território sírio, ao oeste da cidade de Idleb, cenário há alguns dias de violentos combates entre o exército leal ao presidente Bashar al-Assad, apoiado pelos russos, e os rebeldes.

Canais de televisão turcos exibiram imagens do avião russo em chamas durante o voo e depois sua queda nas montanhas próximas à fronteira, perto da província de Hatay (sul da Turquia).

"Um avião russo Su-24 foi derrubado de acordo com as regras de combate depois de ter violado o espaço aéreo turco, apesar das advertências", informaram fontes da presidência turca, país membro da Otan.

O Estado-Maior turco afirmou que o caça russo foi advertido "10 vezes no intervalo de cinco minutos"

"Às 9H20 (5H20 de Brasília), um avião violou o espaço aéreo turco, apesar das várias advertências. Dois de nossos aviões F-16 que patrulhavam a região intervieram" afirma uma nota oficial do exército.

O ministério russo da Defesa negou categoricamente as acusações.

"Hoje, em território sírio, caiu um avião Su-24 pertencente à Força Aérea russa mobilizada na Síria, em consequência de disparos supostamente procedentes de terra", afirma um comunicado.

O ministério russo indicou que o aparelho "estava exclusivamente no espaço aéreo sírio" e voava a uma altitude de 6.000 metros quando foi derrubado.

O Kremlin classificou de "incidente muito sério" a queda do avião de combate russo.

"Quando houver mais informações, isto ficará mais claro", afirmou o porta-voz do Kremlin.

Moscou ainda tenta determinar o destino dos pilotos, mas afirmou que de acordo com as primeiras informações ambos conseguiram ejetar-se do avião.

Piloto capturado

O canal turco CNN-Turk informou que um dos pilotos foi capturado pelos rebeldes sírios turcomanos que lutam contra o regime de Bashar al-Assad nas montanhas da fronteira turca.

Depois do incidente, o primeiro-ministro turco Ahmed Davutoglu se reuniu com o comandante do Estado-Maior, general Hulusi Akar, e o ministro das Relações Exteriores, Feridun Sinirlioglu, e decidiu levar o incidente à Otan e ante a ONU.

Em função disso, a Otan, que está em contato com a Turquia e segue de perto a situação, atendeu ao pedido da Turquia de convocar uma reunião extraordinária ainda para esta terça-feira.

Desde o início da intervenção militar russa para apoiar o regime de Bashar al-Assad, no fim de setembro, os incidentes de fronteira se intensificaram entre Ancara e Moscou.

Caças turcos interceptaram em duas ocasiões aviões militares russos. Em um dos incidentes, no dia 3 de outubro, Moscou alegou "más condições meteorológicas".

A Turquia também derrubou em 16 de outubro um drone de fabricação russa que entrou no espaço aéreo turco.

A tensão entre os dois países aumentou nos últimos dias, após uma série de bombardeios russos que, segundo Ancara, atingiram localidades da minoria turcófona da Síria.

A Turquia convocou na sexta-feira o embaixador russo para advertir sobre as "graves consequências" da operação.

Ancara e Moscou estão envolvidos no conflito sírio, que provocou mais 250.000 mortos desde 2011. A Rússia, ao lado do Irã, constitui o último apoio ao regime de Assad. Do outro lado, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan exige que o presidente sírio deixe o poder.

O ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, tem uma visita prevista para quarta-feira a Ancara, que não deve ser alterada, segundo a chancelaria turca.


Postar um comentário