Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Troféus de guerra: tecnologias militares desviadas nos últimos 20 anos

A espionagem na indústria militar é uma das formas mais eficazes de obter a tecnologia que não se possui. Na guerra invisível conduzida pelos serviços secretos todos os meios são usados.
Sputnik

A Sputnik conta sobre as tecnologias das quais, em vários momentos, os governos conseguiram se apropriar. 

Drone desaparecido

Em 4 de dezembro de 2011, o mais novo drone stealth norte-americano RQ-170 Sentinel desapareceu no oeste do Afeganistão. Segundo o Pentágono, alguém "cortou" o canal de comunicação entre o drone e o operador. Cinco dias depois, um veículo aéreo não tripulado com características de design semelhantes foi apresentado na televisão iraniana. Ainda não se sabe exatamente como o controle do drone foi interceptado. Especialistas acreditam que isso não poderia ter acontecido sem um moderno sistema de guerra eletrônica entregue ao Irã pela Rússia ou China. Não há informações oficiais sobre esse assunto.

O ex-presidente dos EUA, Barack Obama, apelou às autoridades da Repúbl…

Turquia fez 'emboscada' ao Su-24 para proteger terroristas - professor da NYU

O ataque ao caça russo Su-24 foi planejado e uma armadilha preparada pela Força Aérea turca, afirmou o Dr. Mark Galeotti, professor de Assuntos Globais na New York University (NYU), à Sputnik.


Sputnik

Ao derrubar o avião russo, a Turquia tinha duas coisas em mente. Primeiro, Ancara queria se posicional como um poderoso ator regional, especialmente considerando a participação ativa da Rússia na Síria. O governo turco pensou que ao derrubar um avião, a Rússia levaria Ancara mais a sério no futuro.


Bombardeiro SU-24
Sukhoi Su-24 © Sputnik

Segundo, o governo turco queria proteger seus aliados que estão sendo bombardeados pela Rússia na Síria, afirma Galeotti, especialista em relações turco-russas.

A Turquia pretende proteger o Estado islâmico porque tem interesses diretos na entrega de petróleo extraído de territórios controlados pelo grupo terrorista. Segundo várias estimativas, o petróleo gera entre US$ 40 milhões e US$ 50 milhões de receitas ao Estado Islâmico por mês.

Um dia antes do ataque ao Su-24, ataques da Força Aérea da Rússia destruíram mais de mil caminhões-tanque que transportavam petróleo bruto até refinarias do Estado Islâmico.

Segundo o especialista, mesmo se o avião russo houvesse violado o espaço aéreo turco por um curto período de tempo, não haveria motivo para derrubá-lo. Para Galeotti, havia outras opções para resolver o problema.

Em 2012, quando um avião sírio derrubou um caça turco por seguidamente violar o espaço aéreo sírio, o Presidente Erdogan ficou furioso e declarou que a rápida violação de espaço aéreo não deveria ser pretexto para que um avião fosse derrubado.

O bombardeiro Su-24 russo foi abatido por dois caças turcos F-16 enquanto realizava operações na Síria. Um dos pilotos morreu a tiros enquanto descia de paraquedas. O outro foi resgatado. Um soldado de infantaria também perdeu a vida na operação de resgate.

O presidente turco afirmou que Ancara agiu de acordo com seu direito soberano de responder a ameaças, alegando que o avião russo havia violado o espaço aéreo da Turquia. Entretanto, dados de voo divulgados pelo Ministério da Defesa russo mostram que o Su-24 nunca esteve no espaço aéreo da Turquia e realizava manobras legítimas sobre a Síria.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas