Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

PropHiper - Mais rápido do que uma bala

Pesquisadores brasileiros desenvolvem veículo aéreo que se deslocará em velocidade hipersônica
DefesaNet

Se tudo correr como planejado, a Força Aérea Brasileira (FAB) realizará dentro de dois anos o ensaio em voo do primeiro motor aeronáutico hipersônico feito no país. O teste integra um projeto mais amplo cujo objetivo é dominar o ciclo de desenvolvimento de veículos hipersônicos, que voam, no mínimo, a cinco vezes a velocidade do som, ou Mach 5.
Mach é uma unidade de medida de velocidade correspondente a cerca de 1.200 quilômetros por hora (km/h). O programa é coordenado pelo Instituto de Estudos Avançados (IEAv), um dos centros de pesquisa do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) da FAB, em parceria com a empresa Orbital Engenharia, ambos de São José dos Campos (SP).

Além do motor hipersônico, o projeto Propulsão Hipersônica 14-X (PropHiper), iniciado em 2006, prevê a construção de um veículo aéreo não tripulado (VANT), onde o motor será instalado. Batizado de 14-X, …

'A França não pode ficar na OTAN se a Turquia permanecer'

Após a derrubada de um avião russo pelas Forças Armadas turcas na Síria, Paris deve abandonar a OTAN se Ancara permanecer como membro do bloco, afirmou nesta sexta-feira o presidente do partido francês Solidariedade e Progresso (SP), Jacques Cheminade.


Sputnik

"Ou a França deve deixar a OTAN neste momento ou pedir a suspensão ou exclusão da Turquia", declarou o político. 


Jacques Cheminade, presidente do partido francês Solidariedade e Progresso (SP)
Jacques Cheminade © AFP 2015/ BERTRAND LANGLOIS

Na última terça-feira, um caça F-16 turco abateu um jato Su-24 das Forças Aeroespaciais da Rússia que participava de ataques contra grupos terroristas na Síria, acusando-o de violar o espaço aéreo da Turquia, acusação contestada por Moscou. Logo após o incidente, a OTAN expressou solidariedade a Ancara, demonstrando confiança nas informações fornecidas pelas autoridades turcas, em meio a protestos por parte da Rússia.

Embora faça parte da organização militar ocidental, a França, no entanto, segundo Cheminade, mudou a sua opinião em relação à participação russa e síria no combate ao Estado Islâmico. E, por esse motivo, deveria se recusar a permanecer na aliança após uma violação tão grave por parte de um de seus membros e do apoio do bloco a esse agressor.

"Uma mudança na posição da França é evidente. Mesmo Fabius (chanceler francês) sugeriu que o Exército sírio poderia participar da luta contra o EI".


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas