Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Confira a arma secreta da China em uma eventual guerra contra os EUA

A evidência do emprego de minas marítimas na doutrina da guerra naval chinesa segue crescendo.
Sputnik

Nas fases finais da Guerra do Pacífico, os estrategistas americanos combinaram genialmente dois sistemas de armas, o revolucionário bombardeiro de longo alcance B-29 e as relativamente simples minas marítimas com explosivos magnéticos ou acústicos, causando um caos na economia e moral japoneses. O esforço para semear profusamente as águas japonesas com milhares de minas foi denominado de "Operação Fome" e esse esforço provou sua alta eficiência para pôr o Japão de joelhos. Contudo, a Marinha americana também foi vítima do emprego hábil da guerra de minas e esses casos são mais recentes.

O caso clássico provém da Guerra da Coreia, quando minas foram colocadas ao largo da Coreia do Norte, evitando que os estadunidenses realizassem uma invasão eficiente em Wonsan. Durante a Guerra do Golfo Pérsico, dois navios norte-americanos, o "Tripoli" e o "Princeton", for…

Caças russos Su-24 e Su-25 embarcam em novas missões contra Daesh na Síria

A aviação da Rússia continua realizando missões de ataque contra posições do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico) na Síria. 


Sputnik

Na sexta-feira (5), o ministério da Defesa da Rússia revelou que durante a semana de 26 de novembro a 4 de dezembro a aviação russa realizou 431 voos de combate contra posições do Daesh na Síria, atingindo um total de 1.458 alvos terroristas.


Bombardeiro Su-24 decola a partir de aeródromo de Khmeimim na Síria
Sukhoi Su-24 Tchemodan © Sputnik/ Dmitry Vinogradov

Segundo o general, entre alguns dos principais alvos terroristas destruídos pelos aviões russos durante a semana constam um grande depósito de armamentos e munições, 12 estações de processamento de combustível, 8 campos de petróleo e mais de 170 estações de distribuição de petróleo, além de postos de comando, campos de treinamento de depósitos de armamentos menores.

Ele revelou ainda, que após o incidente com o bombardeiros Su-24, abatido pela Turquia sobre o território da Síria, todos os voos russos no país contam com a cobertura dos caças Su-30.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas