Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Incidente com navio turco: Na próxima vez, Rússia 'deve agir conforme' as leis do mar

Se os navios turcos continuarem a violar os regulamentos internacionais e abordar navios russos sem seguir os procedimentos adequados, a Marinha russa deve agir de acordo com as leis marítimas em vigor, declarou hoje (13) o vice-presidente da Comissão de Assuntos Internacionais do parlamento russo, Leonid Kalashnikov.


Sputnik

"Se a embarcação turca devia executar certas exigências, as quais tinham que ser cumpridas naquele momento e [a embarcação] não as executou, então nós [a Rússia] não devemos hesitar e agir de acordo com as leis prescritas por coisas pelas quais nós estamos aqui, é isso", disse o parlamentar.


Navio Smetlivy da Frota do Mar Negro da Rússia
Fragata Smetlivy © Foto: Igor Shkvara

De acordo com Kalashnikov, tais ações só agravam as relações entre a Rússia e a Turquia, que já são tensas no momento.

De manhã, a tripulação da fragata russa "Smetlivy", navio de escolta na parte norte do Mar Egeu, avistou um arrastão turco que se aproximava a uma distância de um quilômetro. O arrastão não entrou em contato por rádio com o navio russo e não respondeu aos sinais luminosos emitidos.

Enquanto o navio turco estava se aproximando do navio de escolta russo, foram feitos disparos a uma distância de cerca de 600 metros para evitar a colisão. Foram utilizadas armas de fogo, tendo os disparos sido feitos a uma distância segura de maneira a não atingir o navio, destacou o Ministério da Defesa russo.

De acordo com a pasta, imediatamente após os disparos, o navio de pesca turco mudou o seu curso e, sem entrar em contato com a tripulação russa, prosseguiu a navegação, passando pela fragata russa a uma distância de 540 metros. Após o incidente, o adido militar na embaixada turca em Moscou foi convocado com urgência pelo Ministério russo da Defesa.

O incidente acontece em meio às tensões russo-turcas após a derrubada do Su-24 russo pela Força Aérea turca sobre a Síria, em 24 de novembro.



Postar um comentário