Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Incidente com navio turco: Na próxima vez, Rússia 'deve agir conforme' as leis do mar

Se os navios turcos continuarem a violar os regulamentos internacionais e abordar navios russos sem seguir os procedimentos adequados, a Marinha russa deve agir de acordo com as leis marítimas em vigor, declarou hoje (13) o vice-presidente da Comissão de Assuntos Internacionais do parlamento russo, Leonid Kalashnikov.


Sputnik

"Se a embarcação turca devia executar certas exigências, as quais tinham que ser cumpridas naquele momento e [a embarcação] não as executou, então nós [a Rússia] não devemos hesitar e agir de acordo com as leis prescritas por coisas pelas quais nós estamos aqui, é isso", disse o parlamentar.


Navio Smetlivy da Frota do Mar Negro da Rússia
Fragata Smetlivy © Foto: Igor Shkvara

De acordo com Kalashnikov, tais ações só agravam as relações entre a Rússia e a Turquia, que já são tensas no momento.

De manhã, a tripulação da fragata russa "Smetlivy", navio de escolta na parte norte do Mar Egeu, avistou um arrastão turco que se aproximava a uma distância de um quilômetro. O arrastão não entrou em contato por rádio com o navio russo e não respondeu aos sinais luminosos emitidos.

Enquanto o navio turco estava se aproximando do navio de escolta russo, foram feitos disparos a uma distância de cerca de 600 metros para evitar a colisão. Foram utilizadas armas de fogo, tendo os disparos sido feitos a uma distância segura de maneira a não atingir o navio, destacou o Ministério da Defesa russo.

De acordo com a pasta, imediatamente após os disparos, o navio de pesca turco mudou o seu curso e, sem entrar em contato com a tripulação russa, prosseguiu a navegação, passando pela fragata russa a uma distância de 540 metros. Após o incidente, o adido militar na embaixada turca em Moscou foi convocado com urgência pelo Ministério russo da Defesa.

O incidente acontece em meio às tensões russo-turcas após a derrubada do Su-24 russo pela Força Aérea turca sobre a Síria, em 24 de novembro.



Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas