Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Incidente com navio turco: Na próxima vez, Rússia 'deve agir conforme' as leis do mar

Se os navios turcos continuarem a violar os regulamentos internacionais e abordar navios russos sem seguir os procedimentos adequados, a Marinha russa deve agir de acordo com as leis marítimas em vigor, declarou hoje (13) o vice-presidente da Comissão de Assuntos Internacionais do parlamento russo, Leonid Kalashnikov.


Sputnik

"Se a embarcação turca devia executar certas exigências, as quais tinham que ser cumpridas naquele momento e [a embarcação] não as executou, então nós [a Rússia] não devemos hesitar e agir de acordo com as leis prescritas por coisas pelas quais nós estamos aqui, é isso", disse o parlamentar.


Navio Smetlivy da Frota do Mar Negro da Rússia
Fragata Smetlivy © Foto: Igor Shkvara

De acordo com Kalashnikov, tais ações só agravam as relações entre a Rússia e a Turquia, que já são tensas no momento.

De manhã, a tripulação da fragata russa "Smetlivy", navio de escolta na parte norte do Mar Egeu, avistou um arrastão turco que se aproximava a uma distância de um quilômetro. O arrastão não entrou em contato por rádio com o navio russo e não respondeu aos sinais luminosos emitidos.

Enquanto o navio turco estava se aproximando do navio de escolta russo, foram feitos disparos a uma distância de cerca de 600 metros para evitar a colisão. Foram utilizadas armas de fogo, tendo os disparos sido feitos a uma distância segura de maneira a não atingir o navio, destacou o Ministério da Defesa russo.

De acordo com a pasta, imediatamente após os disparos, o navio de pesca turco mudou o seu curso e, sem entrar em contato com a tripulação russa, prosseguiu a navegação, passando pela fragata russa a uma distância de 540 metros. Após o incidente, o adido militar na embaixada turca em Moscou foi convocado com urgência pelo Ministério russo da Defesa.

O incidente acontece em meio às tensões russo-turcas após a derrubada do Su-24 russo pela Força Aérea turca sobre a Síria, em 24 de novembro.



Postar um comentário