Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Iraque: ‘Invasão turca é grave violação da soberania iraquiana’

O Iraque está exigindo a retirada imediata destas tropas que estão supostamente em uma missão de treinamento perto da cidade iraquiana de Mosul.


Sputnik

"As forças armadas turcas localizadas perto de Mosul invadiram o país sem permissão e devem sair imediatamente", disse o comunicado do primeiro-ministro iraquiano Haider Abadi, obtidos pela RIA Novosti.


Combatentes do grupo terrorista Estado Islâmico no Iraque, cidade de Mosul. 25 de junho de 2014
Estado Islâmico em Mosul © AP Photo

Na sexta-feira, vários relatos da mídia comunicaram que cerca de 130 militares turcos foram enviados para a área de Mosul, alegadamente para treinar os curdos Peshmerga (uma força militar do Curdistão iraquiano).

O premiê Haider al-Abadi disse no Twitter que a "presença não autorizada de tropas turcas na província de Mosul é uma grave violação da soberania iraquiana".

Mosul foi capturado por militantes do Daesh, também conhecido como o Estado Islâmico, em junho de 2014. Na época, a cidade tinha uma população de mais de 2 milhões de habitantes.

O Daesh, um grupo sunita radical, ocupou vastas áreas do Iraque, bem como da Síria. A coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, que inclui a Turquia, tem realizado ataques aéreos contra alvos do Daesh no Iraque e na Síria desde setembro de 2014.

No entanto, segundo a Reuters, o envio de militares turcos ao Iraque não foi feito no âmbito da coalizão.

As forças Peshmerga no Iraque têm combatido ao Daesh no terreno.


Postar um comentário