Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Khrizantema-S: Por que o sistema antitanque da Rússia é imbatível

Com um nome florido ("Crisântemo") que disfarça sua natureza mortal, o sistema de mísseis antitanque Khrizantema-S foi projetado para destruir os principais tanques de guerra atuais e futuros - inclusive os protegidos com blindagem reativa explosiva -, bem como embarcações de superfície de pequeno deslocamento e alvos aéreos a baixas altitudes.


Sputnik

Os mísseis 9M123 do sistema supersônico Khrizantema viajam a uma velocidade média de 400 m/s e têm um alcance de entre 400 e 6.000 metros.


Sistema russo de mísseis guiados antitanque Khrizantema-S
Khrizantema-S © Sputnik/ Vitaly Belousov

O sistema também é único entre os mísseis guiados antitanque da Rússia no fato de que, dependendo da variante, seus mísseis podem ser guiados por laser ou radar.

Cada míssil carrega uma ogiva de alto explosivo antitanque com penetração de 1,2 m nas armaduras reativas explosivas dos veículos de guerra — um recorde absoluto.

Em comparação, o muito elogiado míssil antitanque norte-americano Javelin, que os ucranianos estão tão ansiosos para conseguir, têm capacidade máxima de penetração de apenas 70 centímetros.

O Spike-MR/LR de Israel faz um trabalho um pouco melhor e penetra até 1 m através das armaduras dos tanques, mas ainda não é páreo para o seu análogo russo.

O míssil 9M123 juntamente com o seu sistema de orientação associado forma o sistema de mísseis 9K123. Atualmente, ele só pode ser lançado a partir do sistema antitanque 9P157-2 Khrizantema-S, baseado no chassi BMP-3. Seu sistema de orientação dupla garante proteção contra contramedidas eletrônicas e lhe permite operar em todas as condições climáticas, de dia ou de noite.

O sistema entrou em serviço nas Forças Armadas russas em 2005.



Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas