Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial do Hezbollah: nossos mísseis podem atingir qualquer ponto de Israel

O Hezbollah é capaz de atingir qualquer ponto em Israel com seus mísseis, disse Sheikh Naim Qassem, secretário-geral adjunto do movimento libanês Hezbollah em entrevista ao jornal iraniano al-Vefagh.
Sputnik

"Não há um único ponto nos territórios ocupados fora do alcance dos mísseis do Hezbollah", disse Qassem.


Segundo o alto funcionário, os mísseis servem para impedir Israel de iniciar outra guerra com o Líbano, expondo a "frente israelense".

Qassem comentou também a guerra na Síria, onde o Hezbollah desempenhou um papel ativo na assistência ao governo sírio contra vários agrupamentos terroristas, incluindo o Daesh e Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia). O funcionário elogiou as vitórias alcançadas contra os terroristas, mas criticou os EUA por sua suposta obstrução ao processo de paz.

As tensões entre Tel Aviv e o movimento libanês xiita Hezbollah aumentaram em 4 de dezembro depois que as tropas israelenses lançaram a operação Northern Shield, dest…

Lavrov: curdos têm direito de lutar com armas na mão

Na quarta-feira (23) o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse que para regularizar a situação na Síria é importante juntar os esforços de todos que lutam contra o terrorismo.


Sputnik

“É extremamente importante (para a regularização da situação na Síria) juntar as capacidades de todos que pretendem lutar contra o terrorismo”, afirmou o chanceler russo.


Ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, durante um encontro com o copresidente do partido de Democracia dos Povos da Turquia, Salahaddin Demirtas, em Moscou, 23 de dezembro de 2015
Salahaddin Demirtas e Sergei Lavrov © Sputnik/ Aleksei Kudenko

Antes de dar início às negociações com Salahaddin Demirtas, copresidente do Partido de Democracia dos Povos da Turquia, Lavrov sublinhou que Moscou considera como direito inalienável dos cidadãos sírios e iraquianos lutar contra o terrorismo com armas na mão.

“Participando da operação antiterrorista na Síria a pedido do governo sírio, a Rússia está prestes a cooperar com os que lutam contra esta ameaça no terreno”, disse o chefe da diplomacia russa.

O chanceler russo afirmou que a deterioração das relações entre a Turquia e a Rússia não abrange os laços entre os povos.

“<…> as nossas relações no contexto daquela ação planejada pela liderança turca…não está ligada de qualquer modo às nossas relações com o povo turco”.

O copresidente do partido pró-curdo declarou que a Turquia não devia ter derrubado o bombardeiro russo.

“Declaramos de imediato como partido de oposição que não apoiamos a posição [do governo], que leva ao agravamento das relações com os nossos vizinhos. Declaramos de forma aberta e criticamos as ações do governo no que toca à derrubada do avião russo”, disse Demirtas.

Demirtas declarou que “é preciso encontrar uma solução para que não prejudiquemos os nossos povos”. O político turco afirmou que o seu partido dá grande importância às relações russo-turcas.

“<…> estamos tristes com o que aconteceu, com uma situação que fez as relações entre os dois países se agravarem”.

O bombardeiro Su-24 foi derrubado sobre a Síria em 24 de novembro por um míssil ar-ar disparado de um caça turco F-16 em resposta a uma suposta violação do espaço aéreo da Turquia. As autoridades de defesa russa e síria confirmaram que a aeronave nunca cruzou o limite da Síria.

Em resposta ao incidente, Moscou introduziu um conjunto de sanções contra Ancara. As medidas proíbem ou restringem as atividades das organizações turcas na Rússia e impedem que os empregadores russos contratem cidadãos turcos, medidas que deverão ter efeito a partir de 1 de janeiro de 2016.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas