Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Militares dos EUA reconhecem que missão da Rússia na Síria é bem-sucedida

As autoridades dos Estados Unidos e analistas militares reconhecem que a missão russa na Síria é bem sucedida e ajudou a estabilizar o governo do país. A declaração é de um alto funcionário da Administração norte-americana, que pediu o anonimato.


Sputnik

"Eu acho que é indiscutível que o regime de Assad, com apoio militar russo, está, provavelmente, em uma posição mais segura do que era", disse a fonte do governo dos EUA, citada pela agência Reuters. 


Dia-a-dia na Base Aérea da Rússia na Síria
Sukhoi Su-25 e Su-24 em base aérea na Síria © Foto: Ministério da Defesa da Rússia

Cinco outras autoridades dos EUA concordaram com a visão de que a missão russa tem sido quase sempre bem sucedida até agora.

A Rússia lançou uma operação contra posições do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico) na Síria, a pedido do presidente sírio, Bashar Assad, em 30 de setembro. A coalizão internacional liderada pelos EUA começou a realizar ataques aéreos nas posições dos jihadistas em setembro de 2014.

Na última sexta-feira (25), o Ministério da Defesa informou que a Força Aeroespacial da Rússia realizou 5.240 voos de combate na Síria desde o início da operação antiterrorista. Foi informado também nesta segunda-feira que a Força Aeroespacial russa realizou 164 missões e alvejou 556 instalações do Daesh nos últimos 3 dias.



Postar um comentário