Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Nova arma hipersônica chinesa pode derrotar o sistema de defesa aérea dos EUA

A China realizou com sucesso o sexto vôo teste de seu DF-ZF (anteriormente conhecido como WU-14), veículo hipersônico de deslize (HGV, na sigla em inglês) projetado para derrotar as defesas antimísseis norte-americanas.


Sputnik

"O DF-ZF é um míssil de altíssima velocidade supostamente capaz de penetrar os sistemas de defesa aérea dos EUA baseados em mísseis de interceptação”, segundo escreveu Bill Gertz, da agência Washington Free Beacon.


Míssil hipersônico sendo lançado
Lançamento do míssil hipersônico © Sputnik/ Ildus Gilyazutdinov

O DF-ZF HGV foi lançado no centro de testes de mísseis de Wuzhai, na Província de Shanxi na região central da China. O dispositivo foi transportado por um míssil balístico até próximo da borda limítrofe da atmosfera, onde se separou do seu módulo lançador e, em seguida, deslizou para um campo de impacto há alguns milhares de quilômetros de distância, no oeste da China, de acordo com o relato do The Washington Free Beacon.

"O vôo DF-ZF foi monitorado por agências de inteligência norte-americanos e atingiu velocidades além do Mach 5, ou seja, cinco vezes a velocidade do som”, observou Gertz.

A ogiva DF-ZF HGV é carregada até a fronteira entre o espaço e a atmosfera terrestre, cerca de 100 km acima do solo, através de um intensificador balístico.

"Uma vez que atinge essa altura, [o projétil] começa a deslizar em uma trajetória relativamente plana, executando uma manobra de “pull-up” [levante] e acelera a velocidade de até o Mach 10”.

Os DF-ZF supostamente podem chegar a velocidades entre Mach 5 e Mach 10, ou 6.173 km (3.836 milhas) por hora e 12.359 (7.680) milhas por hora. O fato de se o dispositivo será armado com ogivas nucleares ou convencionais permanece obscuro.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas