Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Rússia protesta e condena prisão de seus jornalistas na Turquia

O ministério das Relações Exteriores da Rússia declarou nesta terça-feira (8) que Moscou condena definitivamente a decisão das autoridades da Turquia em deter e deportar jornalistas do canal de televisão russo Rossiya 1, uma das principais emissoras do país.


Sputnik

"Condenamos definitivamente as ações ilegais das autoridades turcas. Esse tipo de trato com representantes da mídia é absolutamente inaceitável" – destacou em nota a chancelaria russa.


Um cartaz com uma imagem do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, apresentado em Istambul, Turquia
Recep Tayyip Erdogan © AP Photo/ Emrah Gurel

O ministério supôs ainda que "Ancara se assuntou com o fato de os jornalistas do canal de televisão Rússia 1 terem revelado fatos inconvenientes sobre a atividade ilegal realizada na região da fronteira turco-síria".


A suposição se refere às provas apresentadas pela Rússia e reconhecidas pelos EUA relativas à participação de Ancara no comércio ilegal de petróleo produzido na Síria pelo grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico), e trasportado através da fronteira turca.

A chancelaria russa lembrou ainda que o caso da prisão dos jornalistas é reincidente na Túrquia nos últimos tempos.

"Esse caso é revelador diante de uma série de violações dos direitos humanos de mídias locais e estrangeiras na Turquia. Organizações internacionais, incluindo a OSCE, têm repetidamente chamado a atenção da comunidade mundial para isso" – diz a nota.

Anteriormente o ministério das Relações Exteriores da Rússia havia informado que um grupo de correspondentes do canal de televisão russo Rossiya 1 foi detido no sudeste da Turquia em 7 de dezembro. A prisão foi realizada por pessoas fardadas que se recusaram a se identificar. Os jornalistas foram conduzidos para uma delegacia de polícia local, onde foi tomada a decisão sobre a sua deportação pela "violação das regras de atividade de jornalistas estrangeiros na República da Turquia".


Postar um comentário