Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

SecDef dos EUA ordenou o limite de 40 LCS e seleção de um único estaleiro

Poder Naval

O Secretário de Defesa do Estados Unidos Ash Carter ordenou à Marinha para reduzir sua compra total de Littoral Combat Ships (LCS) em 40 unidades (dos 52 planejados) e selecionar uma única empresa de construção naval e design para a classe como parte de seu orçamento do ano fiscal 2017, de acordo com um memorando obtido pelo USNI News.




A diretiva para reduzir o total previsto de LCS e dirigir as economias para outros programas foi incluída em carta de Carter ao Secretário da Marinha Ray Mabus.

O novo plano exigiria a construção de apenas seis LCS entre os anos fiscais 2017-2020 – oito unidades a menos do que a Marinha apresentou em seu plano de 2017 – e direciona a Marinha para selecionar um único estaleiro e um único tipo de casco em 2019.

Problemas com o Remote Minehunting System

Na semana passada foi noticiado que o sistema remoto de varredura de minas projetado para os LCS não foi aprovado nos últimos testes.

O Remote Minehunting System da Lockheed Martin, que custou US$ 700 milhões de dólares, deverá passar por ajustes até ser submetido à nova bateria de testes em 2016.


Postar um comentário