Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: exército sírio parou de avançar para Afrin

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as tropas do governo sírio deixaram de avançar para a cidade de Afrin "após consultas", realizadas pelo líder turco nesta segunda-feira.
Sputnik

As tropas do governo sírio "foram realmente detidas ontem (segunda-feira)", afirmou Erdogan, segundo a agência de notícias Anadolu. Segundo o chefe de Estado, isso aconteceu "após consultas". No entanto, Erdogan não especificou à que consultas estaria se referindo.


Nesta segunda-feira, o líder turco discutiu a situação em Afrin durante conversa telefônica com seus homólogos russo e iraniano, Vladimir Putin e Hassan Rouhani.

Erdogan também afirmou que as milícias pró-governo que tentaram entrar em Afrin nesta terça-feira, e que foram repelidas pelas tropas turcas, o fizeram por iniciativa própria.

"A milícia síria decidiu entrar em Afrin por conta própria. Isso é inaceitável e não ficará sem resposta", alertou Erdogan.

Anteriormente, a imprensa infor…

Triplo atentado na Síria deixa mortos

Pelo menos 22 civis morreram.
Explosão foi perto de um hospital e outra perto de posto das forças curdas.


France Presse

O triplo ataque suicida com carro-bomba de quinta-feira (10) na região nordeste da Síria matou pelo menos 22 civis, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).



A ONG anunciou em um primeiro momento, na quinta, a morte de 12 pessoas, sem informar se eram civis, depois que três homens detonaram seus carros-bomba em pontos diferentes da cidade de Tall Tamer, na província de Hasakeh.

"Pelo menos 22 civis, incluindo quatro mulheres e um médico, morreram e o balanço deve aumentar porque há muitos feridos", afirmou Rami Abdel Rahman, diretor do OSDH.

"Também há mortos entre as forças de segurança curdas", completou, sem revelar o número.

De acordo com Abdel Rahman, uma explosão aconteceu perto de um hospital e outra nas imediações de um posto das forças curdas.

Tall Tamer, controlada pelas forças curdas sírias, foi alvo de vários ataques do grupo jihadista Estado Islâmico (EI). O atentado de quinta-feira não foi reivindicado até o momento.

Em Aleppo, norte do país, 12 pessoas, incluindo sete crianças, morreram nas últimas 24 horas em bombardeios rebeldes em bairros da cidade controlados pelo regime de Bashar al-Assad, informou o OSDH.

Postar um comentário