Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

China anuncia construção do segundo porta-aviões

O Ministério da Defesa chinês anunciou na quarta-feira (30) os trabalhos de construir o segundo porta-aviões para a Marinha do país.


Sputnik

Mais cedo a mídia repetidamente tem informado que a China está construindo mais um porta-aviões, entretanto, estas informações não foram oficialmente confirmadas pelas autoridades chinesas.


Porta-aviões chinês Liaoning.
Porta-aviões Liaoning © AP Photo/ Xinhua, Li Tang

“É bem sabido que o primeiro porta-aviões que está a disposição da Marinha da China é Liaoning. Os correspondentes departamentos consideraram todos os aspectos do assunto e depois disso começaram a realizar trabalhos de construção do segundo porta-aviões. No momento atual continua a elaboração e a construção [do porta-aviões]”, declarou na quarta-feira (30) o representante do Ministério da Defesa chinês, Yang Yujun, segundo o site do departamento.

De acordo com Yujun, a China segue uma política externa independente e pacífica e a política militar cujo caráter é defensivo.

“Possuímos uma zona de litoral prolongada e vastas águas territoriais que estão sob a nossa jurisdição. A garantia da sua segurança, proteção da soberania das águas territoriais e interesses do país no mar e no oceano é um dever sagrado das Forças Armadas da China”, acrescentou.

O primeiro porta-aviões chinês teve como a base o cruzador de produção soviética Varyag, que não chegou a ser construído. Os trabalhos para torná-lo num cruzador porta-aviões começaram em 2005. Em 2012 o porta-aviões foi entregado à Marinha chinesa. Pouco depois disso foram realizados os testes de aterrissagem do caça J-15 para o convés do porta-aviões.



Postar um comentário