Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Embraer fecha empresa para aeronaves não tripuladas

Empresa afirmou que decisão ocorreu "tendo em vista o atual cenário de restrição orçamentária" do Brasil e que parceria foi dissolvida amigavelmente



Veja

A fabricante de aeronaves Embraer decidiu encerrar as atividades da joint-venture Harpia Sistemas, formada com a AEL Sistemas e a Avibras Divisão Aérea e Naval, para explorar o mercado de veículos aéreos não tripulados. A Embraer afirmou que a decisão ocorreu "tendo em vista o atual cenário de restrição orçamentária" do Brasil e que a parceria foi dissolvida amigavelmente.

Falcão, protótipo da Harpia Sistemas
Falcão, protótipo da Harpia Sistemas (VEJA.com/Divulgação)

A Harpia atuava em linha com a Estratégia Nacional de Defesa (END), tendo sido reconhecida pelo Ministério da Defesa como empresa estratégica, e tinha projeto para desenvolver um Sistema de Aeronave Remotamente Pilotada (SARP) nacional. A companhia tinha sido criada em 2011.

"Devido ao fator estratégico do projeto para concepção de um SARP nacional, as empresas continuarão a desenvolver as tecnologias para atendimento futuro das demandas das Forças Armadas brasileiras e do mercado civil em um novo formato, podendo inclusive atuar em conjunto no futuro", disse a Embraer em comunicado.

A Embraer detinha 51% da joint venture, a AEL Sistemas 40% e a Avibras os 9% restantes. A Embraer detém também 25% do capital da AEL Sistemas, subsidiária da empresa israelense Elbit Systems. Procurada, a Embraer não informou quanto já tinha investido na empresa.

Os ramos de negócio da Harpia incluíam, além de aeronaves remotamente pilotadas, simuladores de voo, modernização de aviônicos e soluções de integração de sensores optrônicos, para atividades de monitoramento e vigilância.

Com a entrada da Avibras no capital da empresa, em 2013, a Harpia passou a contar com o projeto Falcão, drone desenvolvido pela Avibras para uso das Forças Armadas.

Postar um comentário