Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

KC-390, C-27J e C-295W na disputa de concorrência no Canadá

Revista Asas

Os turboélices bimotores Alenia C-27J e Airbus C-295W, junto com o jato Embraer KC-390, estão na disputa para substituir a frota de seis De Havilland CC-115 Buffalo e 13 Lockheed Martin CC-130H nas missões de busca e resgate da Força Aérea do Canadá. Apenas as três empresas remeteram as suas propostas em meados de janeiro. 


Embraer KC-390

A Lockheed decidiu não participar com o C-130J Super Hercules, assim como a Bell-Boeing não entrou com o V-22 Osprey e a Viking Air desistiu do conceito de desenvolvimento de uma nova versão do DHC-5 Buffalo.

O Canadá aguardava uma proposta da Lockheed Martin tendo em vista que o Super Hercules já é empregado em missões de busca e resgate nos EUA há alguns anos.

A negativa da Lockheed Martin coincide com uma possível desistência por parte do novo governo do Canadá em desistir da aquisição de 65 caças de 5ª geração Lockheed Martin F-35 Lightning II. A intenção era a de substituir os já ultrapassados Boeing CF-18 Hornet, mas a escalada de preços e os atrasos do F-35 levaram ao Canadá tomar a decisão de possivelmente abandonar o programa e adquirir um novo vetor de combate.

Em relação a aquisição do novo avião de busca e resgate, o país ainda não estabeleceu um número de exemplares que deverão ser adquiridos, entretanto o processo de avaliação e testes deverá ocorrer num prazo de seis meses, com o contrato sendo assinado no final deste ano ao no máximo no início de 2017.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas