Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Caça F-22 dos EUA faz pouso de emergência no Alasca

Nesta quarta-feira (11), um caça de quinta geração F-22 Raptor da Força Aérea dos EUA fez um pouso de emergência em uma base militar no Alasca, de acordo com a agência AP.
Sputnik

De acordo com a agência, a aeronave aterrissou na base de Elmendorf-Richardson, na cidade de Anchorage, devido a uma falha no funcionamento do chassi de aterrissagem.

As imagens do acidente divulgadas pelo Facebook demonstram que uma das rodas não saiu e a aeronave acabou pousando sobre sua asa esquerda.

O piloto saiu ileso. Entretanto, a porta-voz da Força Aérea dos EUA, Erin Eaton, informou sobre o início de uma investigação da ocorrência.

Outros acidentes

O avião F-22 é um caça bimotor monolugar produzido pela corporação norte-americana Lockheed Martin. A Força Aérea dos EUA conta com 186 aeronaves do modelo.

Em abril, foi registrada uma falha de motor em um F-22 durante a decolagem da base aérea de Fallon, como resultado a aeronave acabou caindo sobre a pista.

Outro acidente, que também ocorreu em abril, teve lu…

Kerry acusa Irã de armar Hezbollah com até 80 mil foguetes

Os Estados Unidos compartilham os temores da Arábia Saudita sobre o fornecimento por parte do Irã de até 80 mil foguetes à milícia xiita Hezbollah, afirmou o secretário de estado americano, John Kerry, neste sábado.


Sputnik

Em uma entrevista coletiva ao lado do ministro de Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel Jubeir, Kerry disse que as preocupações são o motivo pelo qual Washington mantém certas sanções contra o Irã. 


Hezbollah

“O Hezbollah tem de 70 a 80 mil foguetes. Para que eles precisam daquilo? E muito disso é fornecido, obviamente, pela fronteira do Irã com Damasco”, disse Kerry.

O Hezbollah vem lutando contra insurgentes na Síria — inclusive o grupo terrorista Frente Nusra.

“Então essas são preocupações que compartilhamos, que é por que os fatores de armas, mísseis, direitos humanos e patrocínio estatal ao terrorismo são todos parte das sanções que continuam por parte dos Estados Unidos”, afirmou Kerry.

Na última semana, Teerã cumpriu uma parte importante no desmantelamento de seu programa nuclear na última semana, abrindo caminho para o fim das sanções de acordo com o que era previsto no acordo nuclear firmado com as potências mundiais do grupo P5+1.

O reino sunita da Arábia Saudita está entre os rivais do Irã na região, inclusive Israel, que se opuseram ao acordo nuclear. Riad cortou relações diplomáticas com Teerã no início de janeiro.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas