Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia não considera Patriot como alternativa ao S-400, diz parlamentar turco

Washington está negociando com Ancara quanto à possibilidade de fornecimento dos sistemas de defesa antiaérea norte-americanos Patriot no lugar dos S-400 russos, escreveu a revista turca Sabah, citando a assessora do Secretário de Estado dos EUA em questões políticas, Tina Kaidanow.
Sputnik

Kaidanow relevou que o Departamento do Estado está negociando com a Turquia para "tentar dar a entender aos turcos o que se pode fazer em relação aos Patriot".

"Estamos preocupados que a compra dos sistemas russos de defesa antiaérea seja uma espécie de apoio para a Rússia que, pelo que vimos, não se comporta bem em várias partes do mundo, inclusive na Europa", afirmou a assessora, citada pela edição turca.

Um representante do Ministério das Relações Exteriores turco, que pediu anonimato, comentou à Sputnik Turquia sobre a situação quanto às compras dos S-400 por Ancara, bem como quanto ao diálogo com os EUA.
"A nossa postura em relação aos S-400 foi reiterada por diversas vezes…

Pentágono admite mais oito vítimas civis em ataques no Iraque e Síria

France Presse

Oito civis morreram e outros três ficaram feridos em uma série de ataques aéreos americanos lançados entre abril e julho do ano passado contra alvos do grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria, admitiu o Comando Central americano nesta sexta-feira. 

Fumaça é vista após ataque aéreo da coalizão liderada pelos Estados Unidos, em Ramadi, Iraque, no dia 29 de dezembro de 2015
Fumaça é vista após ataque aéreo da coalizão liderada pelos Estados Unidos, em Ramadi, Iraque, no dia 29 de dezembro de 2015

"Lamentamos profundamente a perda não intencional de vidas e danos físicos consequentes destes ataques", assinalou o Comando em um comunicado no qual revela os resultados de suas investigações sobre cinco ataques.

A coalizão já havia reconhecido a morte de quatro civis feitos de refém em Hatra (Iraque), em março, e duas crianças em Harem (Síria), em novembro.

Mas a coalizão é acusada, com frequência, de subestimar o número de vítimas civis de seus bombardeios.

A ONG Airwars, com sede em Londres, que compara e compila informações públicas, estima que essas perdas poderiam, na realidade, ser cifradas em centenas, talvez superar os milhares.

Em novembro, o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, uma ONG que dispõe de uma vasta rede de recursos nos focos do conflito na Síria, havia estimado a morte de 226 civis nos ataques da coalizão entre setembro de 2014 e final de outubro de 2015, somente neste país.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas