Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Compra de Su-30 russos levará Força Aérea do Irã a novo patamar

O ministro da Defesa da República Islâmica do Irã, general Hossein Dehghan, discutiu em Moscou a possível compra de sistemas russos de defesa anti-aérea S-300 e de caças russos Su-30, informou nesta terça-feira (16) a revista The National Interest.


Sputnik

"O ministro Dehgan discutiu a compra de aviões Su-30, que, segundo o ministério da Defesa, são altamente necessários para a Força Aérea do Irã. Avançamos muito nas negociações e suponho que o contrato será assinado no decorrer da próxima visita" – revelou a publicação citando palavras de um porta-voz do ministério da Defesa iraniano.


Caça Su-30 da Força Aérea russa
Sukhoi Su-30

Anteriormente, em entrevista a um canal de televisão do seu país, Dehghan destacou que Teerã está focado na modernização de sua Força Aérea e tem interesse especial no caça russo Su-30. O general não revelou, no entanto, em que versão específica desta aeronave o Irã estaria interessado.

"Possivelmente o Irã precisará de uma versão avançada, parecida com os aviões usados pela Índia, Malásia, Argélia e Rússia" – escreve The National Interest.

Uma boa opção para Teerã seria o Su-30M2, destaca a revista. A compra dessa versão sairia mais barato para o Irã, sendo, provavelmente, a sua melhor escolha, levando em conta a atual situação econômica do país.

É possível ainda que os novos acordos militares entre Rússia e Irã não se limitem a compra de armamentos, já que Teerã também tem interesse em fechar contratos relativos a licenças para produção de aeronaves em seu próprio território, acredita o autor artigo.

"O aparecimento de qualquer versão do Su-30 na frota aérea do Irã aumentará significativamente o potencial da sua Força Aérea, hoje composta em grande parte por antigos modelos de produção russa, chinesa e norte-americana" – explica o texto.

Atualmente os mais modernos caças de que dispõe a aviação militar iraniana são os americanos Grumman F-14 Tomcat e os soviéticos Mig-29. O resto da frota é formado pelos antigos McDonnell Douglas F-4 Phantom II, Northrop F-5 Freedom Fighter/Tiger II e as versões F-6 e F-7 dos russos Mig-19 e Mig-21, estes últimos fabricados sob licença na China, concluiu The National Interest.


Postar um comentário