Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

EUA devem escolher entre a Turquia e os curdos, diz chanceler turco

Os Estados Unidos devem escolher entre a Turquia e o Partido da União Democrática (PYD) dos curdos da Síria, segundo afirmou o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, nesta terça-feira (9).

Sputnik

A declaração acontece na sequência de uma reunião ocorrida em janeiro entre o enviado dos EUA para a coalizão anti-Daesh Brett McGurk e um grupo de curdos da cidade síria de Kobani. 


Joe Biden e Mevlut Cavusoglu © AFP 2016/ OZAN KOSE

O encontro provocou uma reação furiosa do presidente turco, Recep Erdogan, que disse que Washington deveria escolher de que lado está.

"O EUA precisam tomar uma decisão: Eles nos escolhem [a Turquia] como um parceiro ou as organizações terroristas?" reiterou Cavusoglu nesta terça-feira em Budapeste, citado pela agência nacional de notícias Anadolu.

O premiê ressaltou que Ancara considera o PYD um grupo terrorista filiado ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), organização também banida no país.

O porta-voz do governo dos EUA, John Kirby, disse em entrevista coletiva na segunda-feira (8) que Washington estava ciente das preocupações do governo turco, mas disse que “amigos nem sempre concordam em tudo”.

Washington não reconhece o PYD como uma organização terrorista e, pelo contrário, considera os combatentes curdos como aliados estratégicos na luta contra o Daesh (autodenominado Estado Islâmico).

Os curdos são a maior minoria étnica da Turquia e compreendem cerca de 25% da população do país. O PKK tem lutado pela independência dos territórios curdos desde 1984, buscando fundar um Estado curdo em regiões ocupadas pela minoria na Turquia e no Iraque.


Postar um comentário