Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Fatos indicam que Kiev tentará resolver conflito em Donbass pela força, diz Lugansk

Kiev planeja resolver o conflito em Donbass pela força. Tal é evidenciado pelos preparativos para a sétima onda de mobilização, pelo aumento de efetivos do exército e pela realização de cursos de treinamento militar com o apoio de parceiros ocidentais, disse o vice-chefe do Estado-Maior da Milícia da República Popular de Lugansk, Igor Yaschenko.


Sputnik


Ele ressaltou que a liderança política e militar da Ucrânia continua efetuando uma propaganda ativa do serviço militar profissional. 


Soldado ucraniano guarda veículos armados na vila de Fedorivka, no leste da Ucrânia, em 27 de fevereiro de 2015
Tropas ucranianas © AP Photo/ Evgeniy Maloletka

"De acordo com o chefe do Estado-Maior General da Ucrânia, o governo está planejando decidir até final de março o número de homens a serem mobilizados no âmbito da sétima onda de mobilização", disse Yaschenko aos jornalistas.

Tornou-se também público que o pessoal da trigésima brigada mecanizada está se preparando para cursos de treinamento de instrutores no Centro Internacional para a Paz e Segurança", localizado na aldeia de Starishi, região de Lvov, disse Yaschenko.

"Entre 15 a 23 de fevereiro, instrutores das Forças Armadas Britânicas deverão realizar um curso de três semanas para oficiais subalternos da trigésima sexta brigada de fuzileiros navais da Marinha ucraniana", — acrescentou ele.

De acordo com o vice-chefe do Estado-Maior, esses fatos mostram que Kiev continua planejando resolver a situação em Donbass pela força.

"Desta forma, o governo ucraniano, com o apoio de seus patronos ocidentais, não tem intenção de desistir da força para resolver o conflito", — disse Yaschenko.

Os destacamentos da Milícia Popular, por sua vez, estão prontos para qualquer desenvolvimento da situação.

“Eu asseguro aos habitantes da República Popular de Lugansk que, presentemente, a Milícia está pronta para qualquer desenvolvimento da situação. Continuamos a buscar e a apelar ao lado ucraniano para uma resolução pacífica do conflito em Donbass. Estamos convencidos de que somente a implementação do Acordo de Minsk por ambas as partes permitirá atingir este objetivo", frisou Yaschenko.

Em abril de 2014, Kiev iniciou uma operação militar nas províncias de Donetsk e Lugansk para apagar focos de insatisfação com a mudança violenta de poder no país ocorrida em fevereiro do mesmo ano.

As hostilidades deixaram mais de nove mil mortos e 20.700 feridos, segundo números da ONU.

Atualmente, está em vigor na região um cessar-fogo acordado pelo Grupo de Contato Trilateral (Rússia, Ucrânia e OSCE) com o objetivo de solucionar a crise, mas os dois lados do conflito denunciam violações regularmente.



Postar um comentário