Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Kremlin comenta afirmação de Merkel sobre ataques aéreos russos na Síria

Ainda não foram apresentadas quaisquer provas das supostas vítimas dos ataques aéreos russos na Síria, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, na terça-feira (9).


Sputnik


Na segunda-feira, Angela Merkel, afirmou que estava "horrorizada com o sofrimento causado a dezenas de milhares de pessoas" alegadamente pelos ataques aéreos da Rússia na Síria. 


Chanceler da Alemanha Angela Merkel
Angela Merkel © AP Photo/ Markus Schreiber

Enquanto isso, as forças do governo sírio conseguiram na semana passada cortar as rotas de abastecimento dos terroristas que ligavam a Turquia e o norte de Aleppo. As tropas, com o apoio das milícias locais, romperam o cerco nas cidades de Nubl e Zahraa. Agora, o exército do governo pretende ganhar o controle da fronteira sírio-turca.

"No que diz respeito às palavras da chanceler alemã sobre as alegadas vítimas humanas devido aos ataques aéreos russos na Síria, é claro que é preciso ter em conta que, apesar do grande número de declarações semelhantes, ninguém ainda apresentou uma única confirmação que mereça qualquer confiança destes fatos", disse Peskov aos jornalistas.

O Ministério da Defesa russo disse repetidamente que as alegações das vítimas civis nos ataques aéreos da Rússia na Síria são destinadas a distrair a comunidade internacional da guerra civil síria de quatro anos, que causou inúmeras mortes de civis.


Postar um comentário