Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Kremlin comenta declaração de Kadirov, presidente da Chechênia, sobre Síria

Porta-voz do presidente, Dmítri Peskov disse que é preciso se dirigir a órgãos de aplicação das leis para saber se forças especiais tchetchenas foram enviadas ao país em guerra.


Aleksêi Timofeitchev | Gazeta Russa

O porta-voz da presidência russa, Dmítri Peskov, anunciou nesta segunda-feira (8) que a declaração do presidente da república russa da Tchetchênia, Ramzan Kadirov, de que tropas das forças especiais locais teriam sido enviadas à Síria precisa ser verificada com a pasta da Defesa. 


Chechnya's regional leader Ramzan Kadyrov, foreground center, inspects Chechen special forces in Grozny
Líder tchetcheno inspeciona forças especiais locais em Grózni | Foto:AP

"O Ministério da Defesa já explicou diversas vezes quem está na Síria, desde quando e o que essas pessoas fazem por lá", disse Peskov.

Além disso, o porta-voz do Kremlin disse que o assunto trata-se "não de forças especiais tchetchenas, mas federais".

Kadirov afirmou em entrevista ao canal estatal "Rossia 1" no último domingo (7) que forças especiais treinadas em território tchetcheno atuam já há bastante tempo no território sírio, onde lutam contra extremistas do EI (Estado Islâmico).

Segundo ele, as forças especiais colhem informações sobre a estrutura, efetivos e planos dos combatentes, e ajudam a determinar os alvos para ataque das forças aéreas russas.

O líder tchetcheno também afirmou, logo após a declaração russa sobre o início das operações na Síria, que a Tchetchênia estava disposta a enviar tropas terrestres ao país.

Já trabalhamos nisso há mais de um ano, e temos uma preparação militar de primeira. Estamos prontos para partir e temos voluntários, dezenas de milhares de pessoas", disse então.




Postar um comentário