Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Quem vai apoiar as tropas sauditas na Síria?

Os EUA e a Arábia Saudita discutem uma possível operação no terreno contra o Daesh, também conhecido como Estado Islâmico, na Síria, disse o representante oficial do Departamento do Estado, John Kirby.


Sputnik


Na quinta-feira (4) a Arábia Saudita expressou a sua vontade de dirigir à Síria as suas tropas com a condição de a missão ser coordenada com a coalizão liderada pelos EUA, disse conselheiro do Ministério da Defesa saudita, Ahmed Asseri. 


Soldados sauditas no sudoeste da Arábia Saudita, 13 de abril de 2015
Soldados sauditas no sudeste da Arábia Saudita © AFP 2016/ FAYEZ NURELDINE

“Temos de saber mais sobre esta proposta… Estamos discutindo com os sauditas quais são os seus parâmetros e intenções”, afirmou o ministro

Além disso, o canal norte-americano CNN citou hoje fontes que afirmam que Riad e os seus aliados estão preparando até 150 mil militares para uma possível operação na Síria. Esta operação incluiria ainda militares egípcios, sudaneses e jordanos.

No entanto, o chefe do departamento de relações internacionais do Ministério do Ensino Superior sírio, Akil Mahfoud, disse à RIA Novosti que Riad irá de fato ajudar os grupos terroristas no país árabe devastado pela guerra.

O reino do petróleo "irá fornecer grande apoio para a Frente al-Nusra, Ahrar al-Sham e outros grupos similares, sob o pretexto de combater o Daesh", disse ele. "Qualquer intervenção na Síria será realizada, sem dúvida, para mudar o curso da guerra no país. Ela irá dificultar o sucesso do Exército Árabe da Síria. E aqueles que virão não combaterão contra o Daesh independentemente do que a Turquia e a Arábia Saudita dizem».

O cientista político afirma que Riad terá decidido enviar o seu exército para a Síria porque as forças lideradas por Damasco, auxiliadas por aviões de guerra russos e combatentes do Hezbollah, têm ultimamente avançado, enquanto os grupos terroristas estão recuando. O exército sírio teve recentemente grandes vitórias nas províncias de Aleppo, Latakia e Daraa.


Postar um comentário