Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Rússia envia mais de 600 toneladas de ajuda humanitária para Síria

A Rússia enviou à Síria e aos países fronteiriços mais de 600 toneladas de ajuda humanitária. A informação é do embaixador russo no Reino Unido, Alexander Yakovenko.


Sputnik
 

“Foram enviadas mais de 600 toneladas de ajuda humanitária para a população síria na Síria e outros países vizinhos”, disse o diplomata que lidera a delegação russa na conferência de doadores para a Síria, que está sendo realizada em Londres. 

Pessoas descarregando avião russo EMERCOM com ajuda humanitária que chegou ao aeroporto de Latakis na Síria
Descarregamento de avião russo EMERCON em Latakia © Sputnik/ Andrey Stenin

O embaixador russo disse que, em setembro 2015, foram fornecidas à Síria 100 toneladas de trigo. Ele também revelou que não só as agências governamentais que estão envolvidas na campanha para ajudar os sírios.

Yakovenko observou que a Rússia vai continuar a enviar ajuda humanitária para a Síria, tanto por meio de organizações internacionais, como através das agências da ONU e da Cruz Vermelha, com base em acordos bilaterais.


Postar um comentário