Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Stop Trident : Londres é cenário de grande manifestação antinuclear

Os líderes de vários partidos políticos e ativistas antinucleares reuniram-se em Londres no sábado (27) para protestar contra a renovação do programa nuclear britânico Trident. A Sputnik assistiu à manifestação e falou com os ativistas do que se espera ser a maior demonstração do seu tipo dos últimos tempos.


Sputnik

Pessoas vindas de todo o Reino Unido se reuniram em Londres para participar na manifestação Stop Trident, organizada pela Campanha para o Desarmamento Nuclear (CND).


Manifestantes participam de um protesto contra o sistema de mísseis nucleares Trident em Londres, 27 de fevereiro de 2016.
© REUTERS/ Paul Hacket

Josh, um membro da ala juvenil da CND, organização antinuclear, disse à Sputnik:

"Estou aqui porque muito dinheiro está sendo gasto em armas nucleares, que são armas de destruição em massa. Nós pensamos que o dinheiro pode ser gasto melhor, na construção de um futuro melhor, um futuro mais ‘verde’ para os jovens em todo o mundo."

Outro manifestante, Ken, disse à Sputnik que gastar dinheiro com armas nucleares é um desperdício:

"Gastar dinheiro em guerra é um desperdício. Pode ser melhor gasto em medicina e educação. O que está errado com as pessoas? Por que estamos travando guerras? É ridículo. Guerra, guerra, guerra. É apenas para ganhar dinheiro para os super-ricos».

Outro ativista na manifestação contou à Sputnik:

"No mundo moderno, quando as ameaças não vêm de um poder central nuclear — parece melhor investir dinheiro em alguma outra forma de garantir a defesa, em vez de preservar o sistema antiquado, imoral e altamente perigoso de armas nucleares."

A primeira-ministra da Escócia e líder do Partido Nacional Escocês (SNP), Nicola Sturgeon, chegou à manifestação logo após seu início, marchando com os ativistas na Trafalgar Square, no centro de Londres.

Sturgeon disse em seu discurso aos manifestantes:

"Estou muito orgulhosa de estar aqui hoje com tantos de toda a Escócia mostrando solidariedade com as pessoas de todo o Reino Unido e dizendo ‘não’ à obscenidade que representam as armas nucleares Trident", sublinhou ela acrescentando que "a maioria esmagadora dos países não tem armas nucleares».

A líder do Partido Verde, Natalie Bennett, também se juntou aos ativistas em suas chamadas para abandonar o programa Trident.

Quando a marcha contra o programa nuclear Trident chegou à Trafalgar Square, o CND mostrou as imagens das manifestações passadas em telões, enquanto um protesto paralelo no apoio aos refugiados também estava ocorrendo.

O dilema do Trident

O Trident, o submarino britânico dotado de armas nucleares, deverá ser renovado neste ano se o Parlamento der luz verde. Embora o míssil nuclear atual não seja modernizado, os ativistas do Stop Trident estão aproveitando a oportunidade para propor um desarmamento nuclear total.

Os ativistas antinucleares salientam que as armas nucleares não ajudaram a evitar muitas das maiores tragédias dos últimos tempos, como o 9/11, as explosões nos transportes de Londres e os perigos ambientais.

A postura do Partido Trabalhista britânico tem sido tradicionalmente a favor da manutenção de potencial nuclear. No entanto, isso agora pode mudar já que o líder recém-eleito, Jeremy Corbyn, é um famoso pacifista e ativista antinuclear.

Ao mesmo tempo, a posição anti-Trident de Corbyn está em desacordo com os sindicatos que apoiam o partido, que dizem que qualquer redução no programa nuclear levará à perda de milhares de vagas de trabalho.

 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas