Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

EUA acolhem preocupações russas quanto a sanções contra Coreia do Norte

A delegação dos Estados Unidos acolheu algumas das preocupações da Rússia em torno da resolução para impor novas sanções à Coreia do Norte, afirmou o embaixador russo nas Nações Unidos, Vitaly Churkin, em conversa com jornalistas nesta terça-feira.


Sputnik


"Nós discutimos isso com a delegação dos EUA. Acho que eles acomodaram algumas das nossas preocupações", disse Churkin. "Eles acolheram todas as nossas preocupações? Não inteiramente. Mas, vocês sabem, nós estamos trabalhando pelo consenso, é claro. Você nunca consegue tudo o que quer". 


Representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin
Vitaly Churkin © AP Photo/ Julie Jacobson

O Conselho de Segurança das Nações Unidas se reuniu nesta terça-feira para votar uma resolução de autoria dos Estados Unidos propondo uma nova rodada de sanções contra Pyongyang, por conta dos seus recentes testes nucleares. Mas, por decisão da Rússia, que invocou uma revisão processual do documento, a votação não deve ser realizada antes de amanhã de manhã.



Postar um comentário