Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Kalashnikov terá produção licenciada de AK-100 na Índia

Modelos da série AK-100 para testes de pré-produção já foram entregues ao país. Expectativa inicial é produzir 50 mil itens por ano, diz executivo da empresa.


Pável Rítsar | Gazeta Russa

A Rosoboronexport, estatal russa responsável pelas vendas de equipamento militar ao exterior, planeja estabelecer na Índia uma produção licenciada de rifles de assalto da série AK-100, da Kalashnikov. Isso acontecerá após o término dos testes de pré-produção no país, disse o vice-diretor-geral da Rosoboronexport, Serguêi Bereslavski. 


Produção na Índia será iniciada após testes com modelos entregues ao país Foto:Tass

“A Rosoboronexport está trabalhando para organizar a produção sob licença da série AK-100 aqui”, disse Breslavski, em entrevista nos corredores da mostra de armamentos Defexpo India-2016, nesta terça-feira (29).

“Os modelos de produção já foram entregues e vamos lançar a produção licenciada após os testes de pré-produção”, acrescentou o empresário.

O chefe-executivo da fabricante Kalashnikov, Aleksêi Krivorutchko, já havia adiantado em 2015 que a empresa estaria em negociações avançadas com parceiros indianos para a fabricação de armas no país asiático.

“Estamos pensando na produção inicial de, pelo menos, 50 mil itens por ano, com um potencial aumento de escala”, disse Krivorutchko.

A exposição internacional Defexpo India 2016 acontece até quinta-feira (31) em Quitol, no estado de Goa. Durante a mostra, a Rosoboronexport vem mantendo negociações para promover a modernização das Forças Armadas indianas, incluindo a aquisição de sistemas de defesa antiaérea russos S-400.


Postar um comentário