Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (VÍDEO)

Devido à enorme riqueza natural, a porção de mar sob jurisdição brasileira é também conhecida como Amazônia Azul. A área é um dos mais importantes patrimônios naturais brasileiros e é uma preocupação para o setor de Defesa. Para comentar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu Ricardo Cabral, pesquisador da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil.
Sputnik

O pesquisador falou sobre a importância comercial e estratégica, o potencial energético, científico e as obrigações internacionais do Brasil com as áreas da Amazônia Azule seu entorno. Ele também descreveu o atual estado da esquadra da Marinha brasileira, que carece de investimentos e pleiteia junto ao novo governo federal uma fatia maior do orçamento público, limitado pela Emenda Constitucional nº 95.


Foi a própria Marinha brasileira que cunhou o termo "Amazônia Azul", em referência ao tamanho da biodiversidade e dos bens naturais encontradas em sua área. No entanto, a área marítima é ainda maior do que porção brasileira da flo…

Pyongyang diz a Seul que não abandonará programa nuclear sem tratado de paz

A Coreia do Norte rejeitou o chamado feito pela sua vizinha do Sul para abandonar o seu programa nuclear, dizendo que isso não acontecerá sem que antes sejam realizadas discussões sobre um tratado de paz na península, segundo informou a mídia local.


Sputnik


Mais cedo, um representante do governo sul-coreano declarou que o abandono do programa nuclear de Pyongyang era uma pré-condição para que fossem iniciadas as conversas de paz entre as duas repúblicas. Em resposta, a Coreia do Norte afirmou que enquanto Seul e Washington continuarem com sua política hostil na região, isso não será possível. 


Postos fronteiriços da Coreia do Sul (no primeiro plano) e da Coreia do Norte (no segundo plano) perto da Zona Desmilitarizada
Postos fronteiriços entre as Coreias © AFP 2016/ JUNG YEON-JE

Nesta terça-feira, o Conselho de Segurança das Nações Unidas deveria votar uma resolução redigida pelos Estados Unidos que agrava as sanções contra a Coreia do Norte, por conta dos seus recentes testes nucleares. Mas, por decisão da Rússia, que invocou uma revisão processual do documento, a votação será adiada para a manhã desta quarta-feira.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas