Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

Novos mísseis russos serão ‘invulneráveis’ para a OTAN

A Rússia está atualmente finalizando o desenvolvimento de mísseis de uma nova geração que são invulneráveis às forças da OTAN, que podem ser colocados nos territórios do norte da Rússia se a Suécia aderir à OTAN, disse o vice-presidente do Comitê de Armas do Senado russo, Evgeny Serebrennikov, na sexta-feira (29).


Sputnik

Mais cedo, o ministro do Exterior da Rússia, Sergei Lavrov, disse que a Rússia iria responder com medidas técnico-militares nas suas fronteiras do norte se a Suécia optar por aderir à OTAN. 

S-400


"Atualmente, está sendo finalizado o desenvolvimento de uma nova geração moderna de mísseis que não foram anunciados. Eles serão invulneráveis para as armas da OTAN, incluindo os sistemas de defesa aérea", disse Evgeny Serebrennikov à RIA Novosti.

O senador precisou que se trata também de um aumento do número de armamentos nas fronteiras do norte e noroeste, incluindo o fortalecimento da Frota do Norte.

Nos últimos anos, a pressão sobre a Suécia e a Finlândia para abandonar a neutralidade e virar para a OTAN tem crescido, embora os países tenham tradicionalmente permanecido não alinhados.

Desde 2014, a OTAN tem reforçado a sua presença militar na Europa, particularmente nos países da Europa de Leste que fazem fronteira com a Rússia, usando a alegada interferência de Moscou na Ucrânia como um pretexto para as ações.



Postar um comentário