Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Troca de militares na Venezuela preocupa Brasil

Andreza Matais e Marcelo de Moraes | Estadão

A substituição dos comandos militares na Venezuela fez acender uma luz amarela no governo brasileiro. Há dois cenários preocupantes: uma eventual crise interna entre os militares no país vizinho ou uma guerra civil branda. 


Tanque do Exército venezuelano durante desfile em comemoração aos 200 anos da independência do país em 2011. Foto: ARIANA CUBILLOS/AP


O governo pensa em buscar o apoio de regimes bolivarianos como Bolívia e Equador para acionar a Unasul e negociar uma solução para a crise. Avalia que, apesar de aliados de Nicolás Maduro, pode haver uma ação conjunta porque não interessa a Bolívia e Equador uma crise militar na Venezuela.


Postar um comentário