Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Confira os 5 problemas mais graves do exército dos EUA

Em um tempo em quando as ameaças contra os EUA estão crescendo, o exército dos EUA enfrenta uma crise de disponibilidade para combater que prejudica sua capacidade para defender o país.


Sputnik

Segundo a opinião do presidente da Comissão de Serviços Armados da Câmara dos Representantes Mac Thornberry, esse tipo de falta de preparação ocorreu por causa de "cortes orçamentais associados a destacamentos [para o estrangeiro] a um ritmo e em número que não têm diminuído muito".


Exército dos EUA
© AP Photo/ Mindaugas Kulbis

O analista identificou cinco fatos alarmantes causados pela crise de disponibilidade, comunica o jornal The National Interest.

O primeiro problema é a falta de técnicos de manutenção de aeronaves e de treinamento de pilotos."Hoje, a Força Aérea necessita de 4 mil técnicos e de mais de 700 pilotos". Não é importante quantos aviões modernizados estão disponíveis se eles não poderem voar.

O segundo problema consiste em aumento do tempo de trabalho para as equipes de manutenção da Marinha dos EUA sem um aumento de financiamento. Isso leva ao aumento de atrasos no processo de prestação da assistência técnica aos aviões.

"Em 2015, a Marinha dos EUA tinha um registro de 11 aviões em depósito, no próximo ano ela vai ter 278 fora de serviço".

O terceiro problema é, segundo o analista, só um terço do pessoal do Exército estar pronto para participar em combates, o que é extremamente insuficiente.

"Menos de um terço do Exército está pronto para satisfazer os requisitos da Orientação de Defesa Estratégica e deviam ser no mínimo dois terços".

O quarto problema é a falta de prática essencial para os pilotos.

"A Aviação dos Marines exige uma média de 10 horas de tempo de voo por mês e na verdade eles têm aproximadamente quatro horas".

O quinto problema formulado pelo analista consiste em os EUA cortarem seus gastos militares, enquanto os adversários potenciais dos EUA estão modernizando seus exércitos.

"Menos de metade das forças de combate da Força Aérea estão prontas para enfrentar concorrentes como Rússia e China".

Estas são as cinco razões que fazem o exército dos EUA ser mais fraco. Esta tendência negativa pode ser revertida, mas só com a ajuda do Congresso. É tempo para o Congresso iniciar a modernização do exército através da lei da autorização da defesa. Isto é um desafio que os EUA não podem mais ignorar. 


Postar um comentário

Postagens mais visitadas